Publicidade
Manaus
Manaus

Funcionários de refinaria reclamam de atraso salarial

Trabalhadores atuam na Província Petrolífera de Urucu, no Amazonas. De acordo com a categoria, funcionários terceirizados que prestam diversos serviços à Petrobras estão com os salários do mês de setembro atrasados 08/10/2012 às 12:27
Show 1
Mecânicos, eletricistas, instrumentistas, operadores, entre outros funcionários do setor de produção da refinaria em Urucu protestam na frente da Petrobras, em Manaus
Thiago Gonçalves Manaus (AM)

Grupo de trabalhadores do setor petrolífero no Amazonas fez uma manifestação na manhã desta segunda-feira (8), na frente da sede da Petrobras em Manaus, para reivindicar o pagamento de salários atrasados.

De acordo com o diretor-secretário do Sindicato dos Petroleiros (Sindpetro), Agnelson Camilo, que acompanha a mobilização da categoria, os funcionários terceirizados que prestam diversos serviços à Petrobras estão com os salários do mês de setembro atrasados.

“Na verdade há seis meses vem ocorrendo o descumprimento do contrato de trabalho por parte da empresa Tenace, onde a antecipação do salário é atrasada, mês passado a antecipação atrasou e o pagamento do fim do mês também”, afirmou Camilo.  

Falência

Segundo o representante do Sindpetro, a empresa Tenace Engenharia e Consultoria, contratada pela Petrobras alega que não tem recursos financeiros para regularizar o pagamento dos trabalhadores, atualmente. “A gerência da empresa foi lá na província de Urucu e anunciou que a empresa está abrindo falência”, disse.

Agnelson Camilo afirma que o mesmo ocorreu em agosto, quando os trabalhadores, cerca de duzentos e cinquenta, não receberam os salários em dia. A categoria parou as atividades durante três dias como forma de pressionar os patrões.

“Quando atrasou o pagamento nos procuramos negociar com a gerência da Tenace e não houve o pagamento, aí os trabalhadores entraram em greve, ficaram praticamente três dias parados. Foi preciso negociar com a gerência executiva no Rio de Janeiro e conseguimos o pagamento”, contou Agnelson.

Reunião

A categoria aguarda reunião com representantes da Petrobras que ficaram de receber os trabalhadores para dar-lhes orientações, na tarde desta segunda-feira (8) na sede, localizada na Avenida Darcy Vargas, bairro Chapada, Zona Centro-Sul de Manaus.

“Queremos que a Petrobras assuma a responsabilidade dela como concessionária, de contratante e resolva o problema dos trabalhadores. Os pagamentos atrasados e toda indenizatória deles”, colocou o diretor do sindicato.  

Entre os trabalhadores prejudicados estão mecânicos, eletricistas, instrumentistas, operadores, entre outros. Todos atuam no setor de produção da Província Petrolífera de Urucu, que fica a 650 quilômetros a sudoeste de Manaus.

O caldeireiro industrial, Josimar de Jesus, revela que presta serviços à Petrobras faz cinco anos, e segundo ele, várias empresas contratadas pela petrolífera atrasam pagamentos. “Fica uma situação difícil pra nós trabalhadores, temos família, nossos filhos, e precisamos receber nossos salários. A gente espera que a Petrobras resolva essa situação”.

Sem relação

A Petrobras informou por meio da sua assessoria de impresa que a relação dos trabalhadores é diretamente com a empresa Tenace, mas que a gerência da petrolífera em Manaus realiza uma reunião com representantes da categoria, na tarde desta segunda-feira, para dar orientações aos funcionários terceirizados.

Contato

A reportagem do acritica.com entrou em contato com a empresa Tenace por meio do número de telefone 071 34xx-84xx, mas as ligações não foram atendidas. A reportagem também não localizou representantes da empresa em Manaus.

Veja galeria de imagens