Publicidade
Manaus
saúde

Funcionários terceirizados do Hospital 28 de Agosto realizam ato salários

Segundo os organizadores do ato, a manifestação só se encerrou porque a administração informou que durante a tarde será realizada uma reunião com a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) para resolver a situação. Mas de antemão já informaram que o Estado não tem dinheiro 10/05/2016 às 11:30 - Atualizado em 10/05/2016 às 11:31
Show hps28
De acordo com os organizadores da manifestação, em torno de dois mil funcionários da limpeza e conservação, da administração, além de maqueiros e outros profissionais estão com os salários atrasados (foto: Antônio Menezes)
Silane Souza Manaus (AM)

Funcionários terceirizados do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, localizado na avenida Maio Ypiranga Monteiro, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul de Manaus, realizaram uma manifestação na manhã desta terça-feira (10), em frente à unidade, para reivindicar o pagamento salarial que estaria em atraso: de acordo com eles, os valores não são pagos há três meses. O ato começou por volta de 8h e terminou às 9h30 e causou congestionamento do trânsito na via. 

Segundo a serviços gerais Maria Valdeisa Alfaia Soares, de 48 anos, o ato só se encerrou porque a administração informou que durante a tarde será realizada uma reunião com a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) para resolver a situação. Mas de antemão já informaram que o Estado não tem dinheiro. "Eles dizem que não tem dinheiro para repassar à empresa para qual trabalhamos", contou. 

De acordo com os organizadores da manifestação, em torno de dois mil funcionários da limpeza e conservação, da administração, além de maqueiros e outros profissionais estão com os salários atrasados. Eles garantem que se o pagamento não foi feito, vão fazer um novo protesto nesta quarta-feira (11). 

O secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, salientou que os funcionários são de uma empresa terceirizada que presta serviço para rede de Saúde do Estado. Porém, ele destacou que já está verificando a situação. 

"Mandei averiguar se não foi de novo uma situação que envolve a documentação da empresa e também pedi um levantamento do que nós temos hoje de dívida com essa empresa para que a gente possa trabalhar junto a Sefaz  a possibilidade de pagamento essa semana ainda", afirmou.