Publicidade
Manaus
Manaus

Gasolina por R$ 1,90, o litro

Preço mais barato é um protesto nacional à alta carga tributária e será cobrado nos 10 mil litros do produto que serão colocados à venda no Posto 300, localizado na avenida Djalma Batista, bairro Chapada 25/05/2012 às 07:16
Show 1
O Brasil ocupa a 15ª posição no ranking dos países com maior carga tributária em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), do qual representa 35%
CARLOS BRANCO e CIMONE BARROS Manaus

Para protestar contra a alta carga tributária no País, nesta sexta-feira (25), quando se comemora o Dia da Liberdade de Impostos, a Câmara dos Dirigentes Lojistas Jovens de Manaus (CDL-Jovem) vai vender 10 mil litros de gasolina a R$ 1,90. Esse valor é 34% mais barato do que o preço médio nos postos da cidade (R$ 2,88). O combustível estará disponível no Posto 300, avenida Djalma Batista, Chapada, e será suficiente para abastecer 500 veículos (carros e motos), já que cada motorista poderá comprar até 20 litros. A economia por consumidor nos 20 litros será de R$ 19,60.

O Brasil ocupa a 15ª posição no ranking dos países com maior carga tributária em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), do qual representa 35%. O primeiro lugar pertence à Suécia com uma relação carga tributária-PIB de 44,08%, seguida da Dinamarca (44,06%) e da Bélgica (43,08%), de acordo com dados divulgados anteontem pelo Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e de Assessoramento no Estado de São Paulo.

Em tempo real

Até as 16h46 dessa quinta-feira (24), o Impostômetro, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário em parceria com a Associação Comercial do Estado de São Paulo computava a arrecadação de R$ 587.206.023.047,71 no Brasil, nos três níveis de governo. Com essa quantia daria para comprar remédio para toda a população brasileira durante 227.446 meses. Ou, ainda, para construir 42.551.618 salas de aula equipada.

No Amazonas, no mesmo período e intervalo de tempo, segundo o Impostômetro, a arrecadação era de R$ 2.912.373.356,39. O valor representa R$ 611,149 milhões por mês, R$ 20,103 milhões por dia, R$ 837,649 mil por hora, R$ 13.960 mil por minuto e R$ 323,68 por segundo.

“Será que essa imposição do governo é melhor que nós mesmos administramos o nosso di nheiro? Nós não temos uma saúde boa, uma educação de qualidade, a nossa infraestrutura é muito atrasada”, questionou o presidente da CDL-Jovem, Saulo Marques, advertindo que a campanha nacional Dia da Liberdade de Impostos busca despertar a análise crítica da população em relação à alta carga tributária no País. Durante a campanha, serão expostos alguns produtos mostrando a carga tributária, como óleo, motocicleta, cimento e produtos da cesta básica.

Em maio, até essa quinta, o Governo do Estado já arrecadou R$ 475.021 milhões, o que representa 95% do previsto para o mês. Em todo o mês de abril, o Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) apurou 589.264 milhões, de acordo com informações obtidas ontem no Portal da Transparência do Estado e da Sefaz (www.transparencia.am.gov.br e www. sefaz.am.gov.br). No acumulado do ano até às 16h de ontem, o Estado já tinha arrecadado 2,594 bilhões, sendo 2,412 bilhões (93%) oriundos do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

NFS-e terá novo modelo em junho

A partir de junho tomadores e prestadores de serviços da capital amazonense usarão um novo modelo de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e). Segundo o subsecretário da Receita da Secretaria Municipal de Finanças, Planejamento e Tecnologia da Informação (Semef), Átila Benjamin, o novo formato oferece maior praticidade tanto para os usuários quanto para o fisco municipal.

“Apresentaremos uma nota fiscal num formato contábil mais fácil de ser entendida por qualquer setor financeiro ou fiscal das empresas que utilizam o serviço. Este novo modelo é um dos mais práticos e modernos do Brasil”, assegurou.

Átila afirmou ainda que a nova NFS-e é resultado do acumulo de experiências do setor de fiscalização da Semef, que após alguns anos gerenciando o sistema pôde elaborar campos de preenchimentos mais completos, aprovados, inclusive, pelo Conselho Regional de Contabilidade do Amazonas (CRC-AM).