Publicidade
Manaus
Manaus

Governador do AM confirma Josúe Rocha como delegado-geral da Polícia Civil do Estado

Pela primeira vez, em evento público, Omar Aziz e o delegado-geral da Polícia Civil se encontram e afirmam compromisso 25/05/2012 às 06:41
Show 1
O governador Omar Aziz (ao microfone) oficializa o nome do delegado Josué Rocha (em primeiro plano, à esquerda) como delegado-geral da Polícia Civil
LÚCIO PINHEIRO Manaus

O governador Omar Aziz (PSD) reafirmou, nessa quinta-feira (24), à noite, que vai seguir o que for orientado pela comissão governamental encarregada de investigar a legalidade da nomeação dos delegados, no caso conhecido como o “Quinteto Fantástico”. “Vou seguir (a orientação) com certeza absoluta. Todo mundo sabe disso. As providências que a comissão disser eu vou tomar”, prometeu o governador.

Omar Aziz participou, nessa quinta, do evento de formatura de 1.865 policiais militares, no Centro de Convenções do Amazonas, o Sambódromo, no bairro Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste. No ato, o governador anunciou oficialmente os delegados Josué Rocha e Mário Aufiero no comando da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM). O antecessor, Mário César Nunes, pediu exoneração na terça-feira, sob suspeita de ter nomeado cinco candidatos reprovados no concurso público realizado pelo Governo Estadual em 2009.

A comissão governamental encarregada de investigar a legalidade da nomeação dos cinco delegados reúne-se hoje, às 9h, na Casa Civil, para analisar a defesa do “Quinteto Fantástico”. Após esse trabalho, o grupo conclui o relatório que será encaminhado ao governador Omar Aziz.

De acordo com o chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, membro da comissão, um volume com aproximadamente dez páginas foi enviado ao órgão, ontem à tarde. O documento contém as alegações dos cinco delegados sobre o caso. “Esse documento encerra o trabalho. Marcamos a reunião para analisá-lo e fechar o relatório para o governador”, disse.

Raul Zaidan estima que entre hoje e amanhã a comissão terá concluído o relatório. Ele já declarou que, se ficar constatado que faltou respaldo legal para as nomeações, o grupo vai orientar o governador a exonerar o “Quinteto Fantástico”. “Se a decisão for pelo não respaldo, a comissão vai recomendar a exoneração”, disse.

Segundo reportagens do jornal A CRÍTICA e da TV A Crítica, Mário César Nunes recomendou, sem respaldo legal, a nomeação do “Quinteto Fantástico”. Entre os favorecidos está o filho do delegado-geral, Caio César Medeiros Nunes.

Mário César nomeou delegado, sob as mesmas circunstâncias, Thomaz Vasconcellos, Indra Celani Leal, Laura Câmara e Herbert Lopes. Desgastado pelo escândalo, o delegado-geral pediu demissão. No lugar dele, foi anunciado ontem pelo governador o delegado Josué Rocha de Freitas. O delegado Mário Aufiero é o novo delegado-geral adjunto, substituindo o delegado Antônio Chicre Neto.

Classificação suspeita de ‘quinteto’

De acordo com as regras do edital, apenas os 300 melhores classificados na fase objetiva teriam suas provas discursivas corrigidas. O problema é que nenhum dos cinco ficou sequer perto dessa marca, segundo documentos obtidos por A CRÍTICA. A súbita mudança no status dos candidatos ocorreu no dia 3 de janeiro de 2011, quando o delegado-geral publicou uma portaria alterando a classificação dos aprovados no concurso.

Caio César ficou em 897º lugar; Indra Leal em 635ª; Laura Câmara em 667ª; o secretário estadual de Inteligência do Estado, Thomaz Vasconcellos, em 395º; Herbert Ferreira em 1.011º. Numa reclassificação, homologada por César Nunes, os cinco foram catapultados para o grupo dos 300 aprovados. A “façanha” rendeu a eles a alcunha de “Quinteto Fantástico”.

O governador Omar Aziz (PSD) determinou, no dia 4 deste mês, que uma comissão fosse instaurada para apurar as denúncias de irregularidades na nomeação do “Quinteto Fantástico” publicadas em A CRÍTICA.

“Não quero me surpreender”, diz Omar

O governador Omar Aziz (PSD) disse, nessa quinta, que escolheu um nome para comandar a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) que não o surpreenda em manchete de jornal. “Imagina eu nomear um delegado hoje e amanhã a imprensa dizer que o novo delegado é envolvido com isso ou com aquilo. Essa era minha preocupação primeira. Esse foi o critério. Segundo: que ele (Josué) tem 23 anos de carreira e conhece muito a Polícia”, declarou o governador, que disse esperar que o novo delegado-geral consiga unificar a PC-AM.

O delegado-geral indicado, Josué Rocha, tem 64 anos. É graduado em Direito e Filosofia e pós-graduado em Segurança Pública. Atuou como delegado titular das delegacias especializadas em Homicídios, Roubos e Furtos e foi corregedor da PC-AM.

Mário Aufiero, indicado delegado-geral adjunto, tem 34 anos. É mestre em Administração Pública. Foi diretor de planejamento da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) e atuou como delegado titular de três Distritos Integrados de Polícia (DIPs). “Espero contribuir dentro da missão que o governador nos passou. Que é melhorar a questão da investigação e unificar a classe”, comentou Aufiero.