Publicidade
Manaus
Manaus

Governador 'enquadra' sua bancada na ALE-AM

Governador reúne deputados de sua base para apaziguar atritos e falar sobre campanha no interior 18/04/2012 às 08:22
Show 1
Omar Aziz conta com o apoio de 20 de um total de 24 membros da Assembleia Legislativa do Amazonas
KLEITON RENZO Manaus

Duas articulações ocorridas nessa terça-feira (17), devem amenizar o clima de guerra que paira sobre a sessão plenária de hoje da Assembleia Legislativa (ALE-AM), quando o presidente da Casa, Ricardo Nicolau (PSD), promete levar à votação o requerimento que cria a Comissão de Revisão da Constituição do Estado.

Na primeira articulação, realizada durante o pequeno expediente, Nicolau reuniu com grupos de três parlamentares fora do plenário. Na pauta da discussão, apesar de não ser confirmada pelos deputados, constou o pedido de assinatura ao requerimento da comissão e apelo para os deputados da bancada governista evitarem o conflito.

Outra ação que deve aliviar a pressão sobre Nicolau, foi a reunião da base aliada da ALE-AM com o governador Omar Aziz (PSD), ocorrida na tarde de ontem na sede do Governo, no bairro da Compensa, na Zona Oeste de Manaus.

Base no interior

Um mês após finalizar uma série de reuniões com todos os prefeitos do interior, o governador Omar Aziz se prepara para uma viagem de três dias pelos municípios dos rios Purus e Juruá, na companhia do ex-governador, e hoje senador Eduardo Braga (PMDB), e de pelo menos dez deputados. Desde a eleição de 2010, que Omar e Braga não cumprem agenda, juntos no interior do Estado.

Apesar de dizer que não iria interferir nas eleições municipais no interior, o governador vem intensificando as articulações com vistas ao pleito.

Nos corredores da Assembleia, comenta-se que Omar não está contente com os constantes conflitos públicos dos deputados e chamou a conversa para apaziguar sua base. “É uma reunião de base que sempre realizamos, com pauta livre para cada deputado”, desconversou Marcos Rotta (PMDB), sobre o teor da conversa.

Questionado se a reunião tinha o propósito de acabar com os atritos entre PSD e PMDB dentro da Casa, Rotta negou haver conflito. “Não sei de onde inventaram isso. O PMDB e o PSD não estão em crise”, disse.

Outros que também desviaram a conversa foram os deputados do PSD, Chico Preto e Ricardo Nicolau. O próprio Chico Preto, junto com Rotta, trava um duelo silencioso pela indicação do grupo a candidato da Prefeitura de Manaus em outubro. “Eu não tenho problema nenhum (entre PSD e PMDB). Mas falo por mim. Não procuro criar arestas desnecessárias com ninguém de nenhum partido”, disse Chico Preto.

Questionado sobre a conversa com o governador, Ricardo Nicolau disse que não foram discutidas “questões partidárias”, mas somente a agenda da viagem de Omar ao interior.

Revisão da Constituição será analisada pela ALE   

Em meio ao conflito entre os deputados de situação e o descontentamento do governador Omar Aziz (PSD) com as brigas na Casa Legislativa, o presidente da ALE-AM, Ricardo Nicolau (PSD), afirmou que mantém a decisão de revisar a Constituição do Estado e apresenta, hoje, o requerimento que inicia esse processo. “Já está pronto. Hoje (ontem), eu estava coletando as assinaturas. Teve um pequeno erro no documento, mas já foi corrigido”, disse.

O primeiro vice-presidente da ALE-AM, Marcos Rotta (PMDB), reconhece que o requerimento “não terá problemas para ser aprovado”, mas volta a criticar o presidente pela “falta de diálogo com os parlamentares”. “Até agora o parlamento não sentou e discutiu. Ele (Nicolau) não conversou com ninguém ainda”, afirmou Rotta.

Na base de oposição, os deputados Marcelo Ramos (PSB) e José Ricardo (PT) disseram que manterão o voto contrário à proposta. O socialista defende que o parlamento pressione o governador Omar para que envie a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2013, enquanto o petista quer que a Assembleia priorize a revisão do Regimento Interno. “Isso (revisão a Constituição) é uma grande besteira”, disparou Ramos.