Publicidade
Manaus
Manaus

Governador substitui três secretários estaduais do AM

Omaz Aziz confirma troca nos comandos das secretarias de Governo, de Fazenda e Política Fundiária. Ele não está satisfeito com o rendimento dos secretários 06/12/2012 às 08:31
Show 1
Governador Omar Aziz participou do encontro com prefeitos eleitos e reeleitos do interior do Estado que está sendo realizado pelo Tribunal de Contas
kleiton renzo ---

A 25 dias para o fim do ano, o governador Omar Aziz (PSD) decidiu  trocar os titulares das secretarias de Fazenda (Sefaz), Isper Abrahim, de Governo (Segov), George Tasso, e de Política Fundiária (SPF), Ailton Soares, numa ação que ainda poderá tirar pelo menos quatro  outros nomes do secretariado herdado do ex-governador, hoje senador Eduardo Braga (PMDB).

“Teremos mais mudanças este ano a fazer. Mas eu não vou falar os nomes e nem as secretarias. Quando eu anunciar as secretarias já falarei os nomes que entram”, afirmou o governador, ontem, no último dia do curso “Transição de Governo nos Municípios”, promovido pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), com prefeitos eleitos e reeleitos do interior.

A conversa corrente nos bastidores é que Omar não está satisfeito com o rendimento dos secretários e deverá tirar do governo Graça Prola e Regina Fernandes, da Assistência Social (Seas); Mônica Melo, do Departamento de Trânsito (Detran-Am); José Farias, de Articulação aos Movimentos Sociais (Searp).

A respeito da eventual saída do secretário estadual de Produção Rural (Sepror), Eron Bezerra, para assumir o mandato do  deputado federal Pauderney Avelino, cotado para o secretariado de Artur Neto, Omar  deu mostras  de que o comunista permanecerá na Sepror. “Não, o Eron, não (sai). Ele já conversou comigo e disse que prefere ficar na secretaria caso algum parlamentar assuma uma secretaria municipal”, disse Omar Aziz.

Sobre os demais nomes cogitados para sair, o governador disse que não iria mais “falar sobre o assunto, enquanto não definisse os substitutos”. E justificou as trocas de secretários como forma de dar “oxigenação” ao governo. “O motivo é oxigenar. Nós temos que mudar as coisas. Eu tenho metas a cumprir e quero cumprir antes de terminar meu mandato”, disse o governador, e mais à frente completou: “Pretendo cortar gastos (no governo), e aquele secretário que achar que ‘não dá’, sai”, afirmou.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).