Publicidade
Manaus
Manaus

Homem é acusado de estuprar crianças na Zona Norte de Manaus

O ajudante de cozinha é suspeito de estuprar as enteadas de 11 e dois anos de idade. Ele usava um terçado para intimidar as vítimas 26/04/2012 às 19:33
Show 1
As irmãs de onze e dois anos teriam sido vítimas de ex-padastro
Catiane Moura Manaus

Uma dona de casa de 32 anos denunciou nesta tarde de quinta-feira (26) à polícia, o ex-marido, um ajudante de cozinha de 26 anos, suspeito de ter estuprado a enteada de 11 anos e a própria filha de apenas dois anos de idade. O crime, segundo a mãe das meninas, ocorreu na residência onde os dois moravam no bairro Novo Israel, na Zona Norte de Manaus.  O suspeito usava um terçado para intimidar as vítimas, e ainda prometia matá-las, caso elas gritassem ou contassem sobre o abuso.

Conforme a dona de casa, de 2010 a 2011 a filha de 11 anos vinha sendo aliciada pelo padrasto. A mãe relatou que a pequena só resolveu falar sobre os ocorrido, nas últimas semanas, por conta dela ter rompido o relacionamento com o companheiro. “Ela viveu isso durante mais de um ano, mas tinha medo de falar para mim. Há alguns dias ela falou para um parente e ele me contou”, disse a mãe.

“Além da mais velha, eu também desconfio que ele tenha abusado da pequena de dois anos. Na última segunda-feira, ela apareceu se queixando de dores nas partes íntimas”, relatou a dona de casa. As crianças serão encaminhadas ao Instituto Médico Legal (IML), onde passaram por exame de conjunção carnal. A mãe afirmou que a filha mais velha confirmou ter sido penetrada pelo padrasto.

De acordo com o delegado titular do 18° Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde o caso foi denunciado, Ivo Henrique Martins, o suspeito confessou ter abusado da enteada pelo menos cinco vezes. “Ele contou que estuprou a enteada, mas negou que tenha feito o mesmo com a filha. Ainda chegou a citar que na segunda-feira, apenas teria limpado a parte íntima da filha que segundo ele estava suja de areia”, informou o delegado.
 
A dona de casa destacou que era casada com o suspeito há cinco anos, em nenhum momento desconfiou do crime. Ela ainda declarou que a filha de 11 anos disse que o seu ex-companheiro usava um terçado para intimidar as meninas. “Ele era acostumado a chegar bêbado em casa e ameaçar eu e as meninas com um terçado, mas nunca imaginei que ele também usasse a arma para aliciar minhas filhas”, disse a mulher, abalada.