Publicidade
Manaus
Manaus

Homem é linchado e família fala em latrocínio, mas PC também investiga se foi ação de 'justiceiros'

De acordo com informações colhidas pela reportagem no local do crime, há suspeitas de que Sílvio César Abreu Ribeiro tenha tentado abusar sexualmente de duas pessoas, culminando na agressão que resultou em sua morte. Informação foi negada pela mãe e irmã da vítima, que acusam grupo de agredí-lo enquanto Silvio estava bêbado, para roubar seu celular 17/01/2016 às 14:16
Show 1
Sílvio era morador do bairro Manôa, tinha um filho de 12 anos e sua esposa estava grávida de quatro meses. Na foto, familiares e amigos prestigiam a vítima durante seu velório
Fábio Oliveira Manaus (AM)

O técnico em refrigeração Sílvio César Abreu Ribeiro, de 38 anos, foi morto por linchamento na noite do último sábado (16), na rua 5 do bairro São José 1, Zona Leste de Manaus. A principal suspeita é de que o crime tenha sido latrocínio (roubo seguido de morte), segundo informou a autônoma Silvânia Abreu, 36, irmã da vítima. De acordo com ela, o celular de Sílvio foi levado pelos suspeitos.

Segundo a irmã, Sílvio estava indo à casa de um irmão, no bairro Novo Aleixo, Zona Norte, quando foi abordado por três homens, ainda não identificados. “Ele estava bêbado, havia bebido muito e essas pessoas o pegaram e bateram muito nele, até ele morrer. Faleceu no local”, explicou a irmã. Ela disse também que Sílvio estava no local errado na hora errada. 

No entanto, segundo informações não oficiais colhidas pela reportagem na rua 5, local do crime, a vítima havia tentado abusar sexualmente de duas mulheres, mas a irmã de Sílvio e a mãe, Maria das Graças, 59, negaram o boato e afirmaram que a informação é falsa. A mãe informou, ainda, que o filho era trabalhador e que foi morto por bandidos que o roubaram.

“Ele era um homem muito bom e aqui era muito conhecido. Todo mundo gostava dele. Tão falando que ele tentou pegar alguém, mas é mentira. Ele tem esposa. Tanto que levaram o celular dele”, disse.

A mãe informou que uma mulher ainda levou um soco no rosto ao tentar apartar os suspeitos. Sílvio era morador do bairro Manôa, tinha um filho de 12 anos e sua esposa estava grávida de quatro meses. 

O caso foi atendido primeiramente pelo delegado Jeff Mac Donald, do 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP), que trabalha com duas hipóteses, sendo uma delas a tentativa de abuso. Porém, o caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) que, até o momento, não têm informações sobre autoria nem motivação do crime.