Publicidade
Manaus
Polícia, Assassinato, Agressão Física, DEHS

Homem morre após ser agredido com barra de ferro na cabeça, na Zona Leste de Manaus

Vítima foi agredida por um conhecido com quem dividia um quarto há menos de dois meses. Suspeito não teve a identidade revelada 29/07/2012 às 21:55
Show 1
Vítima teria descoberto que o companheiro de quarto era usuário de drogas
Catiane Moura e Síntia Maciel Manaus

O ajudante de pedreiro Rosivalter Costa Nunes, 45, faleceu neste domingo (29), pela manhã, após passar três dias internado no Hospital João Lúcio, no bairro São José, Zona Leste de Manaus, vítima de agressão física.

Na última quinta-feira (26), o ajudante de pedreiro foi agredido com vários golpes desferidos na cabeça, por um homem com quem ele dividia um quarto, na rua das Tulipas, no bairro Jorge Teixeira, também na Zona Leste de Manaus.

O motivo do desentendimento, de acordo com familiares da vítima – que não souberam informar o nome do suspeito -, teria sido pelo fato de Rosivalter ter descoberto que o colega de quarto era usuário de drogas.

Há pouco tempo a vítima teria se separado da mulher e passado a dividir um quarto com um conhecido.          

Familiares de Rosivalter, disseram que a vítima consumia bebidas alcoólicas com frequência, e no dia do crime ele estava supostamente bêbado.

Os relatos de testemunhas do caso, repassados ao ex-sogro do ajudante de pedreiro, Edilson Alves, dão conta de que a vítima foi agredida porque teria batido na porta várias vezes, bêbado, e o barulho teria acordado o colega de quarto. Ao entrar no local, Rosivalter teria avisado que ia sair da casa e morar em outro lugar.

“Quando ele falou isso, o suspeito ficou irritado, então, pegou uma barra de ferro que era usada para travar a porta e começou a espancá-lo”, detalhou o autônomo o ex-sogro da vítima.

Rosivalter ainda chegou a ser socorrido por vizinhso que acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

 “Nós queremos justiça por esse crime. Rosivalter, mesmo separado da minha filha, era uma pessoa muito boa, e nós nunca tivemos problemas com ele. Sempre foi trabalhador e honesto e não merecia morrer assim”, disse o ex-sogro.