Publicidade
Manaus
Manaus

Homicídios dolosos aumentaram 14,2% no Amazonas em 2011

Dos estados da região Norte, o Pará é o Estado com o maior número absoluto de homicídios dolosos na região. Foram registrados 2.880 casos 06/11/2012 às 13:55
Show 1
Foram 30 mortes a cada grupo de 100 mil habitantes
acritica.com Manaus (AM)

A proporção de homicídios dolosos (aqueles com intenção de matar) avançou no Amazonas em 2011. Foram 30 mortes a cada grupo de 100 mil habitantes. Uma alta de 14,2% em relação ao ano anterior, quando a taxa era de 26,3 mortos a cada grupo de 100 mil habitantes.

Dos estados da região Norte, o Pará é o Estado com o maior número absoluto de homicídios dolosos na região: 2.880. O que significa um total de 37,5 mortes a cada 100 mil habitantes. O número, entretanto, é 15,7% menor do que registrado em 2010.

Além do Pará, Tocantins, Acre, Rondônia e Amapá viram a taxa de homicídios a cada 100 mil habitantes cair, respectivamente, 0,9%, 25,9%, 27,8% e 77,4% – a maior redução do País – chegando a 18,3, 18,5, 25,3 e 0,9.

Os índices de Roraima não foram obtidos, mas em 2010 foram registradas 80 homicídios no Estado.

Os dados fazem parte da 6ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), apresentado nesta terça-feira (6) em São Paulo (SP).

Índices

Os números do anuário sobre ocorrências criminais foram conseguidos, em grande parte, a partir dos dados do Sistema Nacional de Estatísticas em Segurança Pública (SINESPJC), gerido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública. O SINESPJC foi institucionalizado pelo projeto de Lei nº 12.681, de 2012, que cria o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas (Sinesp).

O sistema, que representa uma grande conquista para o setor, ainda não é abastecido adequadamente por quatro Estados da região: Acre, Amapá, Pará e Roraima. Os dados do Acre foram informados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública.

Os dados criminais publicados pelo fórum têm por fonte os registros policiais, que são qualificados conforme a qualidade e a confiabilidade das informações.

O Amazonas está no Grupo 1, de melhor qualidade dos dados. Rondônia e Tocantins estão no Grupo 2 (baixa qualidade, mas que alimenta o SINESPJC). Acre e Pará estão no Grupo 3 (alta qualidade, mas que não abastece o sistema), e Amapá e Roraima estão no Grupo 4 (baixa qualidade e que não alimenta o sistema).