Publicidade
Manaus
cadastramento haitianos

Imigrantes Haitianos procuram Polícia Federal em Manaus para regularizarem situação no país

Na busca pela regularização do visto humanitário, haitianos estão dormindo em praças e locais próximos à Polícia Federal em Manaus 01/02/2012 às 09:24
Show 1
Registro das digitais e fotos são alguns dos procedimentos realizados; estimativa de conclusão da PF é fevereiro
Milton de Oliveira Manaus

Vários haitianos recorrem diariamente à Polícia Federal, localizada bairro Dom Pedro, Zona Centro Oeste, buscando regularizar sua permanência no Brasil e conseguir um emprego na cidade. Alguns chegam a dormir em paradas de ônibus e em outros locais próximos à sede do órgão federal para conseguir uma das 80 senhas de atendimento.

 De acordo com a Superintendência da Polícia Federal do Amazonas, os haitianos estão fazendo a complementação da documentação de entrada no País, que começou no município de Tabatinga (a 1.106 de Manaus), no último dia 16. Em Manaus, eles realizam os procedimentos de registro das digitais e fazer fotos.

O atendimento, segundo a superintendência, começou na quarta-feira, 25, às 8h e a previsão é de que no final de fevereiro todos os imigrantes haitianos que estão em Manaus estejam devidamente regularizados.

 Frustração

Alguns haitianos que aguardavam atendimento, disseram que há divisões de opiniões entre eles sobre o Brasil. “No Haiti, vendem uma imagem do Brasil, como se tivesse vagas de trabalho para todas as profissões. E, agora, eu vejo que não é assim”, disse o contador e ex-guia turístico Marquein, 30, que manifestou sua frustração, depois de gastar todas as suas economias, conforme ele, para vir a Manaus.

O trabalhador da construção civil, Bien Aime, 27, disse que está esperançoso e espera dias melhores. “Eu cheguei aqui de madrugada porque tenho vontade de trabalhar o quanto antes. Espero que eu tenha muita sorte e possa superar minhas dificuldades”, contou.

Todos os haitianos que entraram no País antes do último 12 de janeiro serão atendidos pela Polícia Federal e terão até três meses para se regularizarem. Os que chegaram depois dessa data, sem o visto humanitário, serão notificados a deixar o Brasil.

Em busca do trabalho

De acordo com informações da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Amazonas (SRTE-AM), de janeiro a dezembro do ano passado, 1.391 carteiras de trabalho foram emitidas para os imigrantes do país caribenho. Este ano, os atendimentos ocorrem todas as quartas e sextas-feiras, além dos multirões dos fins de semana, com horários e local estabelecidos pelo órgão. Hoje, o atendimento acontecerá na Paróquia de São Geraldo, bairro de mesmo nome, Zona Centro Sul, das 13h30 às 16h30.

Para tirar a carteira é necessário que os haitianos levem o protocolo expedido pela Polícia Federal, Cadastro de Pessoa Física (CPF), e um comprovante de residência.

Sonho praticamente realizado


O cozinheiro haitiano Chrisma Erius, 32, é um dos que estão conseguindo realizar o sonho no Brasil. “Há uma ano e meio moro em Manaus. O começo foi muito difícil, por várias coisas, entre elas o idioma. Mas, com o passar do tempo, consegui um emprego, uma casa alugada e até uma namorada amazonense”. Segundo Chrisma, o próximo passo é melhorar seu português e a formação, segundo ele. Além disso, Chrisma quer ter uma família no Brasil.

Georjes Adneu, 28, é um dos imigrantes que chegou na semana passada e está em Manaus há apenas oito dias. “Ainda estou aprendendo e conhecendo as coisas daqui. Nesse momento, o que eu quero é regularizar minha situação e começar uma nova vida”, disse o trabalhador da construção civil. Adneu disse ainda que deixou a esposa e dois filhos no Haiti e que quando conseguir um emprego fixo, tentará trazer a família.

Tanto Chrisma quanto Adneu estavam, na manhã dessa terça-feira (31), na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Amazonas (SRTE-AM), bairro Aleixo, Zona Centro Sul, para acompanhar outros haitianos e tirar a Carteira Nacional de Trabalho.