Publicidade
Manaus
Manaus

Impugnações eleitorais somam 345 no Amazonas

Contestações dos pedidos de registro de candidatura atingem cinco candidatos em Manaus e 340 no interior do Estado 19/07/2012 às 08:08
Show 1
Impugnações apresentadas, na sua maioria, pelo Ministério Público Eleitoral, serão julgadas pelos juízes eleitorais
ARISTIDE FURTADO Manaus

A Justiça Eleitoral divulgou, ontem, 345 impugnações de pedidos de registro de candidaturas no Amazonas, sendo cinco em Manaus e 340 em 29 municípios do interior do Estado. O campeão de impugnações, até o momento, é o Município de Manacapuru, onde foram registrados 103 contestações.

Contra candidatos a prefeito, foram apresentadas 20 denúncias. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) totaliza 230 aspirantes ao cargo nos 62 municípios do Amazonas. Em Amaturá, dois dos três candidatos a prefeito terão que provar na Justiça Eleitoral que têm direito de participar do pleito: João Braga Dias (PT) e o ex-prefeito Luiz Pereira (PMDB). Este último, tem quatro contas reprovadas na lista divulgada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM).

O ex-prefeito de Anamã Raimundo Chicó (PCdoB) teve o pedido de registro impugnado. Ele foi cassado em novembro de 2010 pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) por caixa dois e abuso do poder econômico na eleição de 2008. E foi incluído na lista de fichas sujas. No município, também estão sendo questionados os pedidos de quatro candidatos a vereador.

Ex-prefeito de Anori Ernesto Gomes da Rocha (PMDB) é outro na lista de candidaturas contestadas pelo Ministério Público Eleitoral. De acordo com o TCE-AM, o ex-gestor é responsável por duas prestações de contas julgadas irregular. Situação semelhante enfrenta o ex-prefeito de Borba Antônio Gomes Graça (PP). Tem três contas reprovadas no TCE-AM e mais três no Tribunal de Contas da União (TCU). A candidata à vice-prefeita dele, a vereadora Iolanda Maués (PCdoB), também está sob impugnação.

Hamilton Villar (PMDB) candidato a prefeito de Careiro faz parte da relação de pedido de registros contestados. Ele é ex-prefeito do município.

Em Coari, três dos quatro candidatos a prefeito podem ficar fora da disputa. Teve o pedido de registro impugnado o atual ocupante do cargo, Arnaldo Mitouso (PMN). No final do ano passado, ele foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) pelo assassinato do ex-prefeito Odair Geraldo.  Condenado pelo TRE-AM, em 2009, por abuso do poder político e econômico e detentor de quatro contas rejeitadas no TCE-AM e TCU, o ex-prefeito Adail Pinheiro (PRP) é outro sob impugnação. Condição da mesma forma experimentada pelo representante do PRB, Raimundo Magalhães.

Candidato a prefeito de Eirunepé, o vereador Joaquim Monteiro, o Bara (PSD), foi impugnado. Três candidatos disputam o comando do município.

Codajás tem 100% contestados

Todos os três candidatos a prefeito de Codajás estão com os pedidos de registro impugnados. Ex-aliados, o atual prefeito de Codajás, Agnaldo da Paz Dantas (PMDB), e o ex-prefeito Abrahan Lincon (PSD), terão que comprovar que preenchem os requisitos para disputar o pleito. O técnico em laboratório, Joel Oliveira (PT), também está com o pedido de registro contestado.

Em Fonte Boa, três de um total de quatro candidatos a prefeito foram impugnados: o deputado estadual e ex-prefeito do município, Wilson Ferreira  Lisboa (PCdoB), o pecuarista José Suedney Araujo (PSD) e o engenheiro Gilberto Ferreira Lisboa (PDT). Wilson Lisboa  teve o mandato cassado e está no cargo por força de liminar.

Juruá registra uma impugnação de candidato a prefeito, José Ribeiro (PMDB); Maraã também uma: Vera Pessoa (DEM); assim como Maués: Raimundo Pinheiro (PT); e Novo Airão: o ex-prefeito Wilton Santos (PSDB).