Publicidade
Manaus
fumaça Alvorada

Incêndio atinge fábrica de reciclagem de lixo na zona Centro-Oeste de Manaus

Segundo informações de um dos proprietários da usina, Israel dos Santos, esta é a quarta vez que ocorre um incêndio no local, mas a primeira em que o fogo atinge grande proporção. 09/12/2012 às 20:52
Show 1
Incêndio atinge fábrica de reciclagem de lixo
acritica.com Manaus

Um incêndio ocorrido em  uma área pertencente à Usirtam, localizada na Comunidade Ouro Verde, Alvorada I, Zona Centro-Oeste de Manaus na tarde desse domingo, 9, chamou a atenção da população local e gerou comentários dos manauaras nas redes sociais. A ocorrência, que durou cerca de uma hora e começou por volta das 15h, deverá ser investigada pela Polícia Civil, que apontará as causas do incêndio.

Segundo informações de um dos proprietários da usina, Israel dos Santos, esta é a quarta vez que ocorre um incêndio no local, mas a primeira em que o fogo atinge grande proporção. De acordo com o soldado C. Brígido, da 10ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), as outras ocorrências de incêndio registradas no local, anteriormente, foram controladas pelos próprios trabalhadores da usina.

O chefe da seção de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros, Major Frank Borges, explicou que o incêndio ganhou proporções devido à queima de materiais altamente inflamáveis como garrafas de pet (plástico) e papelão, que estavam depositados no lixão. Segundo o tenente Robson Falcão, também do Corpo de Bombeiros, que estava à frente da operação,  “o tipo de material que há no local não se auto inflama deste jeito. Tivemos certa dificuldade de apagar o incêndio porque não há critério de separação dos resíduos”, declarou.

Há informações ainda não confirmadas pelo Corpo de Bombeiros e Polícia Militar sobre a possibilidade de uma garrafa de gasolina ter sido jogada para dentro do terreno.

Divergência

O local é ponto de discussão entre moradores e proprietários. Os moradores reclamam que a usina deveria estar em um ponto mais afastado da cidade.

“Este local está nos prejudicando. O [bairro] Alvorada já está praticamente no centro da cidade, não poderia ter um lixão como este. Têm várias moscas no local, nós temos medo de doenças”, disse uma moradora que não quis ser identificada.

Já Israel dos Santos afirma que eles têm licenciamento para atuar na área. “O local é todo murado, justamente para que os moradores não tenham acesso. A questão das moscas é que vez ou outra pode ter lixo orgânico vindo com os materiais”, rebateu.