Publicidade
Manaus
Manaus

Indústria amazonense demanda 95 mil profissionais qualificados até 2015

O dado veio à tona com a divulgação da Olimpíada do Conhecimento, maior competição de educação profissional das Américas, que está sendo realizada desde o dia 12 de novembro em São Paulo 15/11/2012 às 15:05
Show 1
Adriano Frois, atleta do conhecimento da ocupaçao Marcenaria de Estruturas
acritica.com Manaus

Até 2015, o Amazonas precisará de 95 mil novos profissionais com formação técnica, aponta Mapa de Trabalho divulgado em setembro pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), ), principal instituição de formação de profissionais para a indústria.

O dado veio à tona com a divulgação da Olimpíada do Conhecimento, maior competição de educação profissional das Américas, que está sendo realizada desde o dia 12 de novembro em São Paulo. A competição é promovida pelo Senai.

A pesquisa do Mapa do Trabalho Industrial identificou as áreas da economia que precisarão de profissionais qualificados para preencher vagas de emprego. O estudo, realizado em todo país, revela que o Brasil precisará de 7,2 milhões profissionais com formação técnica até 2015, das quais 1,1 milhão será para jovens que nunca trabalharam.

No Amazonas, os dados mostram a necessidade do investimento na educação profissional. Esta demanda é tanto para os atuais trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM), que precisamacompanhar os avanços tecnológicos, como para os novos profissionais.

A demanda amazonense representa 1,3% da brasileira e está concentrada principalmente nas profissões de técnico de controle da produção, técnico mecânico na fabricação e montagem de máquinas e sistemas e equipamentos, técnicos em eletrônica; técnicos em eletricidade e eletrotécnica, técnicos em fabricação de produtos plásticos e de borracha.

Haverá oportunidades também para os alunos formados em cursos de aprendizagem, com ênfase nas ocupações decozinheiro industrial, preparador e operador de máquinas, mecânico de manutenção de máquinas industriais, trabalhadores de montagem de estruturas de madeira, metal e compósitos em obras civis, operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos e afins.

Em todo o país, a área que lidera a demanda por técnicos, com mais de 16 mil vagas até 2015, é a construção civil. Segundo o gerente da Escola SENAI Demóstenes Travessa, Rodson Barros, localizada do Distrito Industrial, no Amazonas a demanda também é crescente.

“Temos as obras para Copa do Mundo, o aumento dos financiamentos da casa própria e os incentivos do governo federal. Tudo isso mantém o setor aquecido e cresce a demanda por profissionais qualificados”, disse o gerente.