Publicidade
Manaus
Manaus

Indústria de Manaus já demitiu 12,5 mil metalúrgicos

Os cortes no semestre foram 82% maiores que 2011, atingindo mais os setores de duas rodas e eletroeletrônicos 13/07/2012 às 08:35
Show 1
Férias coletivas são a saída usada pelas empresas para evitar mais demissões
Luana Gomes ---

A crise que afeta o Polo Industrial de Manaus (PIM) deixou rastros pelo caminho. Em meio a greve dos auditores fiscais e concorrência desleal com os importados, as empresas resolveram cortar postos de trabalho. Segundo levantamento do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal/AM), apenas no primeiro semestre do ano foram registradas 12,54 mil demissões sem justa causa, fatia que já representa 82,46% do saldo total dos doze meses de 2011 (15,21 mil).

Em junho, aproximadamente 1,75 mil funcionários foram colocados no “olho da rua”. Embora tenha sido um valor menor que o registrado nos outros dois meses do mesmo trimestre (2,30 mil em maio e 2,46 mil em abril), o saldo é 101,50% superior ao de mesmo período do ano passado, quando foram demitidos 867 trabalhadores.

Reposição

Por meio de assessoria, o presidente da entidade, Valdemir Santana, comentou que, ainda assim, a perspectiva para o segundo semestre é que aja um aquecimento no mercado, impedindo a repetição dos mesmos dados, principalmente após as medidas tomadas pelo governo para evitar mais alarme nos empregos. De acordo com Santana, os números foram diminuindo mês a mês, em virtude de algumas atitudes abordadas em sintonia com os empresários das indústrias.

Dentre estes fatores, ele apontou a redução na cara horária de trabalho, motivada pelo estoque em excessos nos galpões das fábricas. Com os acúmulos em alta, muitas empresas estavam dispostas a enviar para casa parte dos funcionários, por isso a proposta de reduzir a carga horária do quadro de recursos humanos, saindo de 40 para 30 horas por semana. “Os trabalhadores ficaram menos tempo nas fábricas em um período necessário para regular o estoque. Mas esse tempo ainda será reposto, porque não houve redução dos salários, foi apenas uma tentativa para que eles não perdessem o emprego”, detalhou.

Além disso, Santana também apontou a concessão de férias remuneradas aos colaboradores do polo como uma das medidas em benefício a permanência dos empregos. Com base nos dados do Sindmetal/AM, as férias ampliadas – que alguns casos chegam a durar até 50 dias – atingiram pelo menos 40 mil dos empregos diretos da Zona Franca de Manaus (ZFM), principalmente no setor de duas rodas e de eletroeletrônicos.

Como a invasão de mercadorias made in China culminou na queda das vendas dos principais setores do PIM (duas rodas e eletroeletrônicos), o presidente do sindicato também lembrou da unificação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em 35% para importação de motocicletas, condicionadores de ar e micro-ondas, pleito do empresariado que foi acatado pelo Governo Federal.

Em edição anterior, o titular da Associação das Indústrias e Empresas de Serviços do PIM (Aficam), Cristóvão Pinto, argumentou que a crise tem assolado especialmente o segmento de duas rodas, e os dados positivos voltariam à tona apenas com a oferta de crédito.

Ranking

Na lista de empresas campeãs em demissões no PIM, a Moto Honda é protagonista, com 886 desligamentos no semestre. Na sequência estão LG Electronics (548), Elcoteq (369), Electrolux (365) e Samsung (337).