Publicidade
Manaus
Inspeção aeródromos

Inicia nesta quinta-feira inspeção de 63 aeródromos do Amazonas

Fiscalização extraordinária foi anunciada um dia após a queda do Caravan que decolou de Flores e caiu matando o piloto 01/03/2012 às 07:35
Show 1
Anac decidiu fazer inspeção extraordinária no aeródromo, a área destinada a pouso, decolagem e movimentação de aeronaves e que abriga o aeroclube
Milton de Oliveira Manaus

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) começa hoje uma inspeção extraordinária nos 63 aeródromos do Amazonas. A medida foi anunciada um dia após a queda de um avião modelo Caravan, prefixo PT-PTB, da empresa Cleiton Táxi Aéreo e no qual morreu o comandante Antônio José de Almeida Maia. A aeronave decolou do Aeródromo de Flores, em Manaus, chocou-se contra a fiação elétrica e caiu num matagal atrás do depósito das lojas Ramsons, na avenida Torquato Tapajós.

 Sobre as condições do Aeródromo de Flores, que abriga o Aeroclube de Manaus (ACA), a agência esclareceu que a parte de ensino e de escola de aviação mantida pelo ACA já está sendo inspecionada e que não há registro de reclamações ou denúncias feitas por demais órgãos de controle. “A agência não recebeu, até o momento, questionamentos advindos do Ministério Público tanto sobre o Aeroclube quanto sobre o Aeródromo de Manaus. Entretanto, o aeroclube passa por uma inspeção extraordinária que resultará na emissão de um laudo sobre a reavaliação do local e de suas operações”, diz a nota. No jargão aeronáutico considera-se aeródromo toda a estrutura destinada a pouso, decolagem e movimentação de aeronaves comerciais (pista, área de estacionamento e hangares). Já aeroclube é a estrutura para o ensino e formação de profissionais para a aviação, seja pilotos ou comissários de bordo.

Acidentes

A Agência Nacional de Aviação Civil reconhece que os acidentes na Região Norte aumentaram e que as fiscalizações deverão ser intensificadas por isso. "Todas as aeronaves civis brasileiras são controladas pelo Sistema de Aviação Civil e seus dados são frequentemente atualizados junto à Anac. Quando solicitam autorização para voar no espaço aéreo controlado, isto é, fazem plano de voo, foi estabelecida uma forma mais efetiva de fiscalizar a regularidade dessas aeronaves e dos tripulantes por meio do sistema Decolagem Certa (DCERTA). A Agência também vai intensificar, no início de março, suas inspeções no Amazonas, que no mês de fevereiro registrou dois acidentes aeronáuticos".

As datas dessas inspeções em cada um dos aeródromos do Amazonas (públicos e privados) não serão divulgadas. Em Manaus, contudo, inspetores de avião civil estarão lotados no escritório da agência, na rua Belo Horizonte, em Adrianopolis, Zona Centro-Sul, prontos para participar do trabalho.

Seripa quer identificar as causas

 De acordo com o chefe do 7º Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VII), Arthur Rangel, o órgão está confeccionando o relatório inicial, que tem um prazo de 30 dias. “Nesse momento, estamos tomando as medidas corretivas, a partir dos dados coletados na ação inicial, que aconteceu na última terça-fera, quando ocorreu o acidente”, afirmou o major.

 Rangel procurou deixar claro que as investigações realizadas pelo Seripa VII, não tem a intenção de condenar ninguém. “Não queremos achar culpados. O que estamos fazendo é um trabalho de identificação de erros e riscos para emitir relatórios de prevenção”, destacou. Ainda segundo ele, os relatórios serão emitidos ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) em Brasília, e, depois de serem avaliados, seriam enviados a determinados setores da aviação, como um aeródromo, para que sejam tomadas medidas de prevenção. Ele disse também, que as buscas de materiais do avião no local do acidente terminaram.

Transferência do local é proposta por autoridades


O governador Omar Aziz e o senador Eduardo Braga (PMDB) se comprometeram ontem a iniciar discussões para viabilizar a transferência do Aeródromo e Aeroclube de Manaus para outra área distante da zona urbana da capital amazonense e afastar os riscos de novos acidentes semelhantes ao ocorrido no último dia 27, que provocou a morte do comandante Antônio José de Almeida Maia. O avião, modelo Caravan, caiu numa área verde próximo à avenida Torquato Tapajós, após colidir com a fiação elétrica.

 O senador ofereceu-se a intermediar uma conversa entre o Governo do Estado e o Ministério da Aeronáutica, proprietário do terreno onde está situado o Aeroclube de Manaus, no bairro de Flores, Zona Centro-Sul. Ele chegou a falar na possibilidade de permuta de áreas, segundo a assessoria de imprensa. De acordo com Braga, a transferência do aeroclube é mais do que necessária porque o local, destinado a pousos, decolagens e treinamento de pilotos, ficou inviabilizado em decorrência do crescimento urbano de Manaus, pois ali foram construídos vários conjuntos habitacionais.


Para o senador, essa transferência é inevitável e poderia ser viabilizada no período de um ano caso o Governo do Estado tome a decisão de fazê-lo já que o mais difícil seria encontrar uma área que pudesse ser aproveitada.

O governador Omar Aziz considerou viável a proposta e prometeu discutir o assunto internamente. De acordo com ele, em nota divulgada em A CRÍTICA, a atual área ocupada pelo Aeroclube, construído na década de 40 do século passado naquele local, poderia ser aproveitada pelo Governo do Estado para projetos a serem definidos após estudos.

Colaborou: Ana Célia Ossame