Publicidade
Manaus
Manaus

Investigação da Consladel em fase final

Promotor Fábio Monteiro, do Caocrimo, confirmou a finalização do processo, mas não adiantou os resultados 16/06/2012 às 12:09
Show 1
Controladores de velocidade operados pela Consladel estão previstos no contrato de R$ 90 milhões feito com a PMM
Florêncio Mesquita Manaus

A investigação que apura supostas irregularidades no contrato de R$ 90 milhões entre a Prefeitura de Manaus e a empresa Consladel para instalações de controladores de velocidade nas ruas chegou a fase final. O trabalho, feito pelo Centro de Apoio Operacional de Inteligência, Investigação e Combate ao Crime Organizado (Caocrimo) do Ministério Público Estadual (MPE), ouviu os envolvidos durante quatro meses e já aponta algumas conclusões.

No entanto, as informações ainda não podem ser repassadas para preservar a andamento do processo. A finalização da apuração foi confirmada nesta sexta-feira (15), pelo promotor de Justiça e titular do Caocrimo, Fábio Monteiro por meio da assessoria do MPE. Ainda não há data para a divulgação da conclusão. A investigação começou em março deste ano depois que a Consladel foi acusada de fazer parte de um esquema de corrupção envolvendo prefeituras em reportagem de A CRÍTICA e depois no programa ‘Fantástico’ da Rede Globo. Depois que a polêmica chegou ao conhecimento público, vereadores da base de oposição da Câmara Municipal de Manaus (CMM) exigiram explicações da Prefeitura de Manaus sobre o contrato e atividades realizadas pela Consladel. O vereador Waldemir José (PT) pediu a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

Entre as pessoas ouvidas estão o diretor-presidente do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), Walter Cruz, o secretário Municipal de Infraestrutura (Seminf), Américo Gorayeb, e técnicos da prefeitura que acompanharam a licitação.

A Constadel é responsável pelo sistema de controladores de velocidade, os “corujinhas”, de Manaus e de outras cidades do País. Em Manaus, ela gerencia lombadas eletrônicas, dispositivos que detectam avanço de sinal, sinalização vertical e horizontal, além de placas de orientação turística, semáforos inteligentes e pela implantação do Centro de Controle Operacional (CCO).

A empresa é a mesma que financiou, em 2008, a campanha do prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB), com o montante de R$ 75 mil. A empresa, sediada em São Bernardo do Campo, em São Paulo, foi declarada vencedora da licitação pública, em 2009, para fornecer os serviços de sinalização e controladores de velocidade .