Publicidade
Manaus
Política, Eleições Municipais 2012, Campanha Eleitoral, Jingles Políticos

Jingles políticos não saem da cabeça e arrebanham eleitores

Há três semanas, os jingles travam uma outra disputa nas estratégias dos candidatos a prefeito de Manaus por votos 09/09/2012 às 10:38
Show 1
Prefeituráveis de Manaus disputam eleitores ao som de pagode, toadas, bossa nova, entre outros ritmos
Rosiene Carvalho Manaus

Feitos para grudar na mente do eleitor e tornar os candidatos mais populares, os jingles de campanha política estão na rua e na mídia eletrônica há três semanas com uma função: angariar votos. Seis dos nove candidatos a prefeito em Manaus não abriram mão dessa ferramenta de marketing e até lançaram mais de uma canção que são tocadas em vários ritmos por toda a cidade.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), afirmou que a principal música da campanha dela fixa tanto na mente, que ela mesma dorme e acorda com o jingle na cabeça: “É que eu sou mais Vanessa do princípio até o fim. O que Manaus mais precisa é de uma prefeita assim”, cantarolou Vanessa durante entrevista para o jornal A Crítica. A música é interpretada pela cantora e candidata a vereadora do PCdoB Márcia Siqueira.

O jingle de Vanessa relaciona vários elogios à história da candidata em versos como “Um novo olhar para cuidar de Manaus” e “‘Vanessa é mulher forte”. “Me pego cantando de vez em quando. Não sei o jingle dos outros candidatos. Mas o meu é uma alegria. Anima a caminhada e as pessoas cantam mesmo”, disse a candidata.

O “É pá, é pá, é pá, é pá, é pá” do jingle do prefeiturável e deputado federal Pauderney Avelino (DEM), segundo a coordenadora de campanha dele, Sandra Santana, é tão irreverente que alcançou várias faixas etárias. Até crianças se divertem cantando o refrão da música que repete várias vezes a primeira sílaba do nome de Pauderney e acrescenta os versos simples e fáceis de decorar: “Para botar ordem na casa já sei em quem vou chamar. É Pauderney prefeito agora o bicho vai pegar”.

A música de Pauderney parece estar popular mesmo. Na Internet, há várias versões do jingle. Em um deles, o artista local conhecido como Rambu aparece dançando a musiquinha da campanha. Rambu ganhou notoriedade por fazer filmes caseiros imitando as aventuras do personagem Rambo - interpretado pelo ator norte-americano Sylvester Stallone -, e o vídeo dele, que foi feito pelo comitê de Pauderney, teve até a  última quarta-feira (6) 532 exibições.

Outro vídeo do “É Pá” é uma montagem, que não identifica o autor, mas que já teve 757 exibições até o último dia 6 deste mês. Nela, os personagens do famoso seriado “Chaves” aparecem com os rostos de outros candidatos a prefeito dançando a música de Pauderney.

Sandra afirmou que chegam várias mensagens e vídeos ao e-mail oficial do candidato relacionados ao jingle de Pauderney.

“As crianças adoram. Nas caminhadas usam mascarazinhas com o rosto do Pauderney e acompanham cantando. Tem uma que gravou um vídeo cantando o jingle que colocou na internet”, afirmou.

Ela disse que como o jingle conquistou o gosto das pessoas, a coordenação da campanha optou por gravar a mesma música em outros ritmos para ser lançada ainda este mês.

Gastos
Dos seis candidatos a prefeito de Manaus que estão utilizando músicas de campanha nos programas do rádio e televisão e em carros volantes nos bairros da cidade apenas Vanessa Grazziotin e Sabino Castelo Branco declararam, na segunda prestação parcial de contas gastos com esse item. Informaram à Justiça Eleitoral despesas de apenas R$ 2 mil, cada um, com a produção de jingles, vinhetas e slogans. Os dados completos dos gastos de campanha serão informados na prestação final de contas.

Copa do Mundo
O prefeiturável e deputado federal Henrique Oliveira (PR) já tem dois jingles de campanha e deve lançar mais dois este mês. Um dos que ainda vão ser lançados será no estilo música de Copa do Mundo apresentando Henrique como a melhor opção para ser o prefeito da Copa 2014.

O coordenador de marketing da campanha de Henrique, Sabá Noronha, afirmou que a estratégia já estava prevista desde o início da campanha e não significa que os dois primeiros jingles não tenham caído no gosto do eleitorado. Noronha diz que todo mundo já canta a balada “Henrique é amigo. Henrique é irmão. Henrique é do povo. Henrique é revelação” e o xote “Não tem conversa e nem chilique. Agora é a vez de Henrique”.

Sabá Noronha explica a estratégia de marketing das músicas de campanha. “A balada dá bem o perfil do Henrique e já está na mente das pessoas. Usamos mais nas TV e no rádio. A outra é mais executada nas caminhadas”, afirmou.

Vice em destaque
O prefeiturável Artur Neto também colocou três jingles na rua para conquistar a simpatia do eleitorado. A aposta foi em versos simples para que fossem melhor fixados na mente das pessoas as propostas e as ideias associadas a imagem de Artur.

Um deles destaca a parceria com o vice de Artur, Hissa Abraão, em ritmo de lambada.

“Com Hissa na sua companhia/ Manaus aprovou a parceria/ Eu sou Artur/ Sou 45/ Sou Manaus”.

A música adota a mesma estratégia usada nas inserções e no horário gratuito de propaganda na TV nas quais é ressaltada a parceria do ex-senador com o vereador.

O coordenador local da campanha de Artur, Valdo Garcia, afirmou que os jingles foram selecionados com o objetivo de conquistar o voto do eleitorado. Ele disse ainda que o candidato aprovou e sabe todas as letras. “Um bom jingle já é meia campanha. É que nem no boi de Parintins, uma boa toada ajuda a ganhar um festival”, disse Garcia que nasceu naquele município.

Nanicos sem música-tema
Os três prefeituráveis dos partidos nanicos, Jerônimo Maranhão (PMN), Herbert Amazonas (PSTU) e Luiz Navarro (PCB), são os únicos que estão sem jingles de campanha.

Herbert Amazonas, que representa o partido que tem um dos slogans mais populares, afirmou que não tinha como bancar a execução de um jingle. Por isso, em todas as campanhas evita usar músicas temas. O popular slogan do PSTU é “Contra burguês, vote 16”. “Seria ótimo, mas não adianta a gente investir, se não tem como bancar”, declarou.

Navarro afirmou que, na falta de um jingle, o tema musical da campanha dele é o hino comunista. “Não temos condições de pagar, estamos usando a internacional (socialista) no carro-volante e levamos nossas propostas à população”, disse.

Maranhão considera os jingles uma maneira de enganar a população. “As letras só são oba oba e autopromoção de obras que fizeram.  Ora, dinheiro público é para isso! Não fizeram mais que suas obrigações”, afirmou.

Versos positivos na voz de David Assayag
“Sim, nós venceremos/ Sim, nós lutaremos (...)/ Dá-lhe, Sarafa!”. Com versos positivos e com a voz grave e empolgante do cantor David Assayag, a coordenação da campanha do prefeiturável diz estar satisfeita com o jingle escolhido para este ano. Pelo menos é a opinião do coordenador da campanha e candidato a vice do prefeiturável Serafim Corrêa (PSB), Marcelo Ramos.

A música de Serafim Corrêa destaca as principais propostas que o candidato quer implementar se for eleito e dá o mote da campanha dele: ‘Serafim tem paixão por ti, Manaus’.

“Tem entusiasmado a nossa militância e a população. O jingle consegue com uma letra bonita falar as muitas coisas que o Serafim fez enquanto prefeito”, afirmou Marcelo Ramos, que apesar de garantir que a letra empolga a militância e o povo, admite que ainda não sabe a letra decorada. “De cabeça não. Só o refrão. Mas vou decorar”, disse.

O publicitário Rodrigo Guedes, que coordena o marketing da campanha de Sabino Castelo Branco (PTB), afirmou que para aproximar mais os jingles do eleitorado usa as sabinetes. São garotas que dançam e mostram coreografias no meio da rua, para cada um dos jingles da campanha. No final das músicas, elas formam o número de Sabino nas urnas. “As crianças gostam. As pessoas dançam o nosso jingle junto com as sabinetes e se envolvem com o ritmo.

O prefeiturável Sabino Castelo Branco (PTB) conta com quatro jingles para conquistar a simpatia do eleitorado de Manaus. São quatro letras diferentes gravadas em ritmos como pagode, samba, bolero e bossa nova.