Publicidade
Manaus
Manaus

Jovens eleitores são os donos de 226 mil votos só em Manaus

As eleições municipais deste ano envolvem mais de 200 mil jovens eleitores em Manaus, faixa da população mais cobiçada pelos candidatos 12/05/2012 às 20:33
Show 1
Jovens eleitores são mais de 200 mil em Manaus
Lúcio Pinheiro ---

Apesar do acréscimo de 15.616 novos jovens aptos a votar, a proporção desse eleitorado em Manaus caiu 8,2% nas últimas três eleições municipais. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mostram que em outubro de 2000, o número de pessoas com Título de Eleitor na faixa etária dos 16 a 24 anos representava 27,76% dos eleitores da capital. Em abril deste ano, o número caiu para 19,55%.

Em outubro de 2000, Manaus tinha 211.284 eleitores, entre 16 e 24 anos. Até abril deste ano, o eleitorado era de 226.900. No mesmo período, o número de pessoas aptas a votar na capital amazonense saltou de 760.952 e 1.160.577. A queda mais drástica foi entre os eleitores homens. Na faixa etária dos 16 e 17 anos, a redução no número de registro eleitoral foi em números absolutos e proporcionais.

Já o eleitorado feminino, quando  comparado ao masculino, cresceu em números absolutos e proporcionais, entre as jovens de 17 anos, e entre as de 18 e 20 anos. Na faixa etária dos 16 aos 17 anos, o número de eleitoras diminuiu, apesar de crescer proporcionalmente nesse intervalo de quase 12 anos.

Para mudar

Enquete realizada por A CRÍTICA, na sexta-feira, com jovens de 15 a 20 anos de idade, mostra que a maioria  acredita, sim, no poder de mudança do voto (veja ‘Voz das ruas’).

Esse é o caso da estudante Camila Paes, 15. Moradora do bairro Nova Vitória, na Zona Leste, Camila vai completar 16 anos no dia 24 de junho. Poderia fazer seu cadastro na Justiça Eleitoral, mas não conseguiu obter o Título de Eleitor, pois procurou o serviço tarde demais. A jovem diz acreditar no poder do voto. E promete ser uma eleitora consciente. “Na minha escola, tem gente que tem vergonha de votar. Eu não vejo assim. É bom escolher um prefeito bacana, que melhore o transporte da cidade e que construa escolas”, afirma Camila.

A estudante Adriane Oliveira, 16, também mostra otimismo às vésperas de viver a primeira participação no processo eleitoral. “É importante votar. A gente tem que ter alguém para nos representar e aprender a escolher bem”, afirmou.

Na ala dos jovens desmotivados em ir às urnas em outubro próximo está o estudante Fernando Miranda,  20. Desde  que se alistou na Justiça Eleitoral, em 2008, o rapaz afirma que nunca votou. O Título Eleitoral encontra-se irregular. Este ano, Renato não conseguiu se regularizar para as eleições municipais. Perdeu o prazo. E desabafa: “Sinceramente, os caras são eleitos só para roubar”.

No dia 9, encerrou o prazo para alistamento, revisão e transferência do Título de Eleitor. Balanço parcial do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) aponta que até à última  quarta-feira, foram realizados 8.270 atendimentos nos municípios do interior do Estado e, em Manaus, 6.041.

Necessidade setorizada

Embora ainda carregue resquícios de um certo engajamento político, os eleitores jovens da atualidade têm necessidades mais setorizadas e individuais, com pretensões imediatas de trabalho, estágios e atividades culturais. A avaliação é do contador, blogueiro e ativista social Dário Nascimento, 34, que tem no currículo um longo envolvimento em movimento estudantil. Entre as atividades no movimento, foi presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Nascimento faz essa observação com base nas manifestações expressas em seu blog. “Se postar temas sobre concurso, trabalho, estágio e tarifa de ônibus, a turma pula. O jovem gosta de praticidade e pouca conversa”, avalia.

Ele conta ainda que outros temas que “chocam” o eleitor jovem são educação e trânsito. “Não adianta 1 mil escolas integrais com computador etc, se não há professor preparado, extensão de ensino. E a cidade está parando. Muitos carros, poucas passagens de nível e ausência de planejamento urbano absurda”, disse.

Facebook é mídia favorita

Alguns estudos mostram que a Internet é o meio onde jovens de 16 a 25 anos se informam. Quanto mais baixa a faixa etária, maior a comunicação via redes sociais. Na eleição anterior houve predominância do Twitter como mídia social mais utilizada. Nesta, o Facebook já demonstrou que deve absorver essa demanda. Se comparar as mídias sociais, com outras ferramentas de massa, como a televisão, entre os jovens, o uso é maior das primeiras. Já vejo muitos jovens adicionando páginas de políticos.

Mas é preciso observar que esses eleitores não vão engolir produção de informação forçada. Eles reagem quando percebem esse tipo de manobra. Agora é óbvio que quanto mais pessoas tiverem adicionadas na página de um político, mas ele vai ter condições de compartilhar informações que lhe interesse divulgar. Com certeza, entre os jovens predominam as preocupações com entretenimento, o esporte, o lazer, a falta de emprego, enfim, temas que fazem parte do modo de vida do jovem.

Influência

Em 2010, no segundo turno da disputa pela Prefeitura de Manaus, a diferença de votos entre o prefeito eleito, Amazonino Mendes, e o segundo colocado, Serafim Corrêa, foi de 123.615. O eleitorado de 226.900 jovens decidiria com sobra o resultado da disputa, tanto para um lado quanto para o outro.