Publicidade
Manaus
Manaus

Juiz aceita denúncia contra coronel Arce e policiais militares

Trata-se de uma Sentença de Pronúncia, do processo nº 0213348-38.2008.8.04.0001, em que, além de homicídio qualificado do ex-policial civil Santos Clidevar de Lima, ocorrido em março de 2004, eles são acusados de corrupção ativa e passiva, entre outros 23/10/2012 às 16:58
Show 1
Felipe Arce Rio Branco é acusado de tráfico de drogas
acritica.com Manaus

O juiz do 2º Tribunal do Júri do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Anésio Rocha Pinheiro, aceitou nesta terça-feira (23) denúncia do Ministério Público Estadual relacionada ao crime de homicídio que supostamente teria sido praticado pelo coronel da Polícia Militar Felipe Arce Rio Branco, Ivan Cheley Castro e Costa de Moraes, e mais outros seis denunciados. Agora, eles vão a Júri Popular. Do total de acusados, sete são policiais militares.

Trata-se de uma Sentença de Pronúncia, do processo nº 0213348-38.2008.8.04.0001, em que, além de homicídio qualificado do ex-policial civil Santos Clidevar de Lima, ocorrido em março de 2004, eles são acusados de corrupção ativa e passiva, ocultação de cadáver e receptação dolosa.

Segundo o magistrado, “este processo, por envolver tráfico internacional de entorpecentes, tramitou durante um tempo na Justiça Federal e depois, em sede de recurso, o STJ mandou que fosse baixado na Justiça Estadual e agora ele foi pronunciado”. Isso significa que o juiz decidiu que eles irão a Júri Popular, que então decidirá se são culpados ou não. Cabe recurso da decisão.

Todos os acusados vão ser intimados e a partir disto começará a correr o prazo para recorrer ao Tribunal de Justiça. “É provável que haja recurso e a inclusão na pauta de julgamento depende destes trâmites”, afirma o juiz.

De acordo com os autos, no dia 02 de março de 2004, o ex-policial civil Santos Clidevar de Lima, reconhecido pela Polícia Federal como traficante internacional de drogas, foi sequestrado, algemado, morto e enterrado clandestinamente no local identificado como “ramal do Toco”, nas proximidades do KM 28 da BR 174 (Manaus-Boa Vista). Nos interrogatórios, um dos acusados afirmou que havia pago uma recompensa de R$ 12 mil para que Felipe Arce, Ivan Cheley e Rodolfo Soprano, vulgo “Godô”, planejassem e executassem a vítima, conforme trechos da sentença do juiz.

*Com informações da Assessoria.