Publicidade
Manaus
Manaus

Juiz diz que a polícia precisa reprimir atos de atentado ao pudor

Estupro, direção perigosa, poluição sonora e infrações à ordem pública são os problemas das ‘bagaceiras’ na Avenida do Turismo 15/11/2012 às 08:56
Show 1
Mulheres seminuas se exibem em via pública
Joana Queiroz Manaus

“A polícia precisa fazer alguma ação para pelo menos reprimir alguns dos crimes que aparecem de forma bem cristalina nas imagens mostradas em A CRÍTICA”. Essa é a opinião do juiz  do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) Carlos Zamith depois de assistir às imagens de dois  vídeos denominados de “Bagaceira na Avenida do Turismo” e “Bagaceira no Turismo”.

Neles, dezenas de jovens e adolescentes, aparentemente sob efeito de droga ou álcool, dançam ao som do forró, funk e eletromelody e fazem coreografias simulando  posições sexuais em plena via pública. Algumas fazem strip-tease e promovem cenas de lesbianismo.

O magistrado disse que, nas imagens, está bem visível adultos praticando atos obscenos, que no Código Penal são descritos como contravenção penal. Mas, segundo ele, pode haver outras contravenções, como o fornecimento de bebidas alcoólicas para  menores de idade.

Zamith classificou a situação como de risco para a integridade física das pessoas envolvidas  e de terceiros, já que envolve bebida alcoólica e direção de veículos. O juiz disse que os órgãos de segurança e os de fiscalização da Prefeitura de Manaus precisam  pôr fim na situação mostrada.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).