Publicidade
Manaus
Manaus

Juíza determina expedição de mandados de prisão contra detentos soltos por alvarás falsos, em Manaus

Jerry Adriano Theodósio e Miguel Vicente de Souza estavam presos no Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM) e foram soltos no último sábado, após apresentação de alvarás de soltura falsos. Eles são acusados de um duplo homicídio, ocorrido em abril de 2011 12/04/2012 às 09:30
Show 1
Imagem feita no dia da prisão da quadrilha que assaltou a casa do coreano Hae Soo Chung, Jerry Adriano é o segundo de camisa verde e o último é o Miguel Vicente
Evelyn Souza Manaus

A Juíza de Direito da 4º Vara Criminal, Dra. Anagali Marcon Bertazzo, expediu na última segunda-feira (9), um despacho onde determina a expedição de mandados de prisão contra Jerry Adriano Theodósio e Miguel Vicente de Souza. A dupla estava presa no Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM) e, no sábado (7), apresentou alvarás de soltura falsos para deixar o presídio.

De acordo com o despacho publicado pela Juíza, que está disponível no site do Tribunal de Justiça de Amazonas (TJAM), o agente disciplinar do CDPM Jackson Medeiros Barbosa confirma a soltura dos presos com alvarás falsos, apresentados pela defesa dos detentos.

O diretor de Secretaria da 4º Vara Criminal, Pedro Paulo Alencar da Silva, encaminhou um Ofício na terça-feira (10) para o Coordenador do Setor de Informática do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas, Leonardo Augusto Soares, onde solicita que no prazo máximo de dez dias, ele apresente informações sobre quem manuseou a expedição dos alvarás de soltura internamente e externamente.

Ainda na terça (10), o diretor de secretaria Pedro Paulo, enviou um mandado de intimação expedido pelo juiz Carlos Henrique Jardim da Silva, que responde pela 4ª Vara Criminal de Manaus, e solicita que o diretor do Centro de Detenção Provisória de Manaus, Frank dos Santos Bezerra, compareça em uma audiência de sindicância nos autos do processo que investiga o crime de latrocínio envolvendo Jerry Adriano e Miguel Vicente. A audiência está prevista para o dia 14 de abril, às 11h.

O caso
Jerry e Miguel são considerados bandidos de alta periculosidade. No dia 21 de abril do ano passado, a dupla participou de um duplo homicídio, que teve como vítimas o empresário coreano Hae Soo Chung e a esposa dele Vanessa de Souza Loureiro.

Quando foram presos por policiais civis da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD) no ano passado, o titular da Derfd, Orlando Amaral, disse que o assatante Jerry planejou todo o roubo a casa do coreano e destacou que ele ficou sabendo através de um familiar conhecido da esposa de Hae Soo, que o coreano tinha R$ 600 mil em espécie em casa.

"Ele pensou que a vítima tivesse esse dinheiro e então resolveram assaltá-lo. Espancaram bastante o casal com intuito de que eles falassem onde estava o dinheiro, mas não encontraram o valor. Como o casal já estava bastante machucado, resolveram matar porque Vanessa conhecia Jerry", ressaltou Amaral.

Apesar de os suspeitos negarem terem estuprado Vanessa, conforme a polícia, o laudo de necropsia realizado no corpo da vítima pelo Instituto Médico Legal (IML), confirmou que a mulher do coreano foi estuprada durante o latrocínio.