Publicidade
Manaus
Manaus

Julgamento de Adail Pinheiro é adiado pela quarta vez no Amazonas

Relatora, Yara Lins, pede para sair e mais uma vez processo sai da pauta do pleno do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas 25/01/2013 às 21:39
Show 1
Conselheiros se disseram surpreendidos com decisão de Yara Lins em deixar relatoria do processo de Adail (no detalhe)
kleiton renzo ---

Pela quarta vez em menos de um mês o prefeito de Coari (a 362 quilômetros de Manaus), Adail Pinheiro (PRP), consegue que o Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), retire de pauta o processo que julga recurso de revisão que condenou as contas da prefeitura de 2003, durante seu primeiro mandato no município.

A surpresa dos conselheiros na sessão desta quinta-feira (24) do pleno, foi a desistência da auditora Yara Lins, alegando razões pessoais, para deixar a relatoria do processo. A justificativa da auditora é que foi, em outras ocasiões, relatora de processos de Adail Pinheiro e julgou pela irregularidade das contas. “Como eu já fui relatora de três prestações de contas do prefeito Adail, e todas eu reprovei, eu me impedi nesse processo. Minha assessoria jurídica me alertou, e achei ético me julgar impedida”, declarou Yara.

O processo nº 3500/2012, que trata do recurso de Adail, já está sendo chamado de “abacaxi” entre os conselheiros. A revisão proposta pelo prefeito, tenta reverter decisão pela irregularidade das contas de 2003 da prefeitura, já definidas no processo nº 925/2004. Na decisão que condenou as contas de 2003 os conselheiros entenderam que Adail  “cometeu várias infrações contra a norma legal” e irregularidades que resultaram em multa de R$ 72 mil. Em março do ano passado o primeiro recurso de Adail no caso foi negado pelo então relator, conselheiro Júlio Cabral, que considerou insuficientes a defesa apresentada”.

Com a saída de Yara do processo, por meio de sorteio, o recurso do prefeito de Coari foi colocado no lote processual dado ao conselheiro Raimundo Michiles, que deverá, em tese, levar a matéria a julgamento no dia 7 de fevereiro. “Eu nem sabia que tinha sido redistribuído. Ela desistiu? De qualquer maneira, só amanhã (hoje) que saberei quais os processos que estão no meu lote. Se estiver comigo vou relatar”, disse Michiles.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).