Publicidade
Manaus
Manaus

Julho promete ser o mês com mais homicídios em Manaus em 2015: 81 mortes até agora

Só os primeiros 20 dias desse mês ultrapassaram em 44% os homicídios de todo julho do ano passado, que teve 56 assassinatos. Janeiro de 2015 ficou atrás com 80 homicídios 21/07/2015 às 17:49
Show 1
Oitenta e uma pessoas foram assassinadas só nos primeiros 20 dias de julho de 2015
VINICIUS LEAL Manaus

Julho promete ser o mês com mais homicídios em Manaus no ano de 2015, conforme dados registrados até o momento. Somente nos primeiros 20 dias desse mês – do dia 1º de julho até ontem (20), foram 81 assassinatos na capital do Amazonas.

Desses 81 homicídios, 36 ocorreram somente nos últimos três dias – de sexta até as 14h de ontem, contando a partir do homicídio de um sargento da Polícia Militar e do assassinato de um detento no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat). Outras 45 pessoas morreram no decorrer do mês.

O número de 81 assassinatos em 20 dias é tão alto que conseguiu ultrapassar em 44% todo o mês de julho do ano passado, quando 56 pessoas foram assassinadas, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

O que fez aumentar consideravelmente as mortes em julho foi a série de assassinatos nos últimos três dias. Porém, logo no início do mês, houve o primeiro final de semana violento de julho, com 15 mortes. Até então, o mês mais violento era janeiro, quando 80 pessoas morreram.

Beco Boa Sorte

O tiroteio no beco Boa Sorte, bairro São José 1, na Zona Leste, foi um dos principais crimes de julho, quando nove pessoas que estavam em via pública foram baleadas na noite de domingo, dia 5, sendo que duas delas morreram. Dois homens foram presos pelos crimes.

Naquele final de semana, 3, 4 e 5 de julho, o total de 15 homicídios já surpreendia. Porém nada seria comparado às 36 mortes ocorridas duas semanas depois, da tarde de sexta (17) até a tarde de ontem (20). Até agora ninguém foi preso como suspeito pelas 36 mortes.

Investigação

A SSP-AM criou uma força-tarefa para elucidar os crimes, e a principal suspeita é que a série de homicídios seja resultado de ato de vingança de policiais militares disfarçados (“motoqueiros fantasmas”) pelo assassinato do sargento.

Outra suspeita é que a sequência de 36 assassinatos seja uma retaliação por três decapitações de detentos em presídios de Manaus, causadas por uma briga entre facções criminosas: Família do Norte (FDN) e Primeiro Comando da Capital (PCC).