Publicidade
Manaus
Defasio

Mães ainda na adolescência contam suas histórias de amor aos filhos

A reportagem conta a história de duas adolescentes que tiveram seus filhos cedo, sem planejamento, mas que ao ver que o teste de gravidez deu positivo, se prepararam e então ficaram prontas para o que desse e viesse 07/05/2016 às 18:48 - Atualizado em 07/05/2016 às 19:57
Show guerreiras 2
Taline não mede esforços para dar conta da felicidade dos dois filhos pequenos / Foto: Kamyla Gomes
Kamyla Gomes Manaus (AM)

Ser mãe não é uma tarefa muito fácil, requer, sobretudo, uma responsabilidade muito grande. Mas você já parou para pensar de como deve ser exercer este papel na adolescência? Lidar com o medo, susto e ansiedade não deve ser uma tarefa fácil, mas existem meninas que conseguiram vencer o preconceito, julgamentos e superar os obstáculos que apareceram à sua frente.

A reportagem vai contar a história de duas adolescentes que tiveram seus filhos cedo, sem planejamento, mas que ao ver que o teste de gravidez deu positivo, se prepararam e então ficaram prontas para o que desse e viesse.

Joycelane Gaia Pinto, 17 anos, teve sua filha Isabelly Victória, de 1 ano, aos 15 anos de idade. Em três dias de namoro, ela se mudou para a casa do namorado, e depois de um mês vivendo juntos, ela recebeu a notícia: você está grávida.

Na época, ela que trabalhava como babá e o seu marido, de 20 anos, que trabalhava em uma fábrica do Distrito Industrial, ficaram sem ter o que pensar, mas se uniram e torceram para tudo dar certo.


Joycelane encarou até a reprovação da família, mas hoje é uma grande mãe / Foto: Jander Robson

Mesmo com algumas dificuldades, falta de dinheiro e até mesmo de apoio da família, eles conseguiram fazer com que Isabelly nascesse repleta de saúde.

Joyce contou que ela, como mãe, se dedica ao máximo para dar o melhor para sua pequena filha.

“Às vezes fica ruim de dinheiro, mas isso não me abala. Para mim pode faltar tudo, mas pra minha filha não, nunca! Desde o dia que coloquei os olhos nela, me apaixonei”, disse a menina.

A jovem afirmou que sua vida mudou completamente depois do nascimento da filha. “Amo demais minha pequena. Ela é a melhor coisa que já me aconteceu e eu nunca vou me arrepender de nada”.

Joyce explicou que mesmo com diversos desafios impostos e, por algumas vezes, a negação da família, ela conseguiu se superar. “Não foi nada fácil, mas apesar de tudo nunca pensei em desistir. Sempre com a cabeça erguida”, explicou a jovem, com a filha no colo e o sorriso estampado no rosto.

Em nome do amor

Já Taline Balieiro de Souza, 17, teve que interromper os estudos na 7° série para dar atenção à sua primeira filha, a pequena Maria Alice Souza Silva, de 3 aninhos. Pouco tempo depois, deu luz a outra criança para alegrar mais a sua vida.

Taline destacou que engravidou aos 13 anos. Já aos 15, ela teve Leandro Muller Balieiro, de 1 ano e 8 meses.

Morando algumas ruas longe do namorado, no princípio a família não concordava, até proibia, mas depois não teve mais jeito. Taline contou que desde o nascimento dos seus filhos, sempre se dedicou muito a eles, e que é muito protetora.

Mesmo com a maior parte do tempo dedicado aos seus filhos, Taline ainda sonha em retornar aos estudos e enfim, se tornar uma enfermeira. Ela disse que como mãe é muito carinhosa e atenciosa, mesmo com a ajuda de familiares para redobrar a atenção com as crianças. “Sempre farei de tudo para ver o sorriso no rosto dos meus  pequenos e amados filhos”, disse.