Publicidade
Manaus
Manaus

Magistrados do AM terão férias e licenças suspensas durante período eleitoral

Decisão visa garantir eleições no interior do AM 04/05/2012 às 08:59
Show 1
Moutinho: “Vamos pegar todos os juízes e conscientizá-los de que medida é urgente”
Jornal A Crítica Manaus

O desembargador Ari Moutinho, que assume a presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) no próximo dia 4 de julho, declarou nessa quinta-feira (3), que durante o período eleitoral vai suspender férias e licenças de magistrados. A medida, segundo Ari Moutinho, é para garantir a realização das eleições no interior do Estado que tem déficit de 23 juízes eleitorais a dois meses do período de pedido de registro de candidatura.

“Eu usarei de todos os esforços para que as eleições sejam realizadas com absoluta tranquilidade. Vamos pegar todos os juízes e conscientizá-los de que a medida é urgente”, afirmou.

A declaração dele foi dada durante visita feita a A CRÍTICA, onde foi recebido pela diretora-presidente do jornal, Rita Calderaro, e pelo diretor-presidente da TV A Crítica, Dissica Calderaro.

Entre os municípios que estão sem juízes eleitorais destacam-se Itacoatiara, Maués, Coari, Eirunepé, Careiro Castalho, Presidente Figueiredo e Rio Preto da Eva.

Na semana passada, o desembargador Flávio Pascarelli, que vai assumir a presidência, do TRE-AM no próximo dia 7 de maio, expôs o problema e disse que espera resolver a questão cerca de 15 dias após assumir a instituição. Ele afirmou que irá escolher juízes da capital aptos para a função e irá enviá-los ao interior do Estado para garantir a normalidade do pleito.

Para o desembargador Ari Moutinho, o tempo pode ser maior dado as complicações burocráticas. No entanto, Moutinho garantiu que o problema não vai deixar de ser resolvido a tempo. Ele disse, ainda, que assim que assumir tratará do concurso para juízes como assunto prioritário para resolver o déficit na capital e no interior.