Publicidade
Manaus
Manaus

Mais de 30 mil multas já foram aplicadas no primeiro semestre deste ano em Manaus

A maioria das multas aplicadas foram destinadas a condutores que estacionaram em local e horário proibido por sinalização 14/08/2012 às 07:55
Show 1
Nem a presença do agente de trânsito evita que os motoristas estacionem na calçada
--- ---

Mais de 30 mil multas foram aplicadas, em Manaus, no primeiro semestre deste ano, pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans). Desse total, 18,8 mil foram por estacionamento em local e horário proibidos por sinalização e 11,1 por estacionar sobre o passeio público, ou seja, nas calçadas e canteiros centrais.

Apesar das multas, muitos condutores continuam desrespeitando as normas de trânsito e estacionando sobre as calçadas. Flagrantes que já se tornaram rotina e que prejudicam os pedestres na avenida Djalma Batista, no trecho entre a avenida Senador Boulevard Álvaro Maia, na Zona Sul, e rua Pará, na Zona Centro-Sul. Segundo pedestres ouvidos por A CRITICA, os condutores de carros “de luxo” recebem tratamento diferenciado por parte dos agentes de trânsito.

“Você passa por aqui e só têm carrões nas calçadas, obstruindo a passagem. Raramente você vê um ‘marronzinho’ e, quando eles estão, não acontece nada. Eles não multam os carros de luxo”, contou a universitária Cristiane Valente, 33, que estuda próximo ao local.

Os espaços mais concorridos nas calçadas estão em frente a cursinhos e um cartório, onde motos dividem o pouco espaço com veículos. “No ano passado, alguns comerciantes decidiram investir na adequação da calçada. Fizemos nivelamentos e entrada para deficientes, mas os veículos continuam estacionando de forma irregular”, disse um funcionário do cartório, que não quis se identificar.

Ele contou, também, que não há fiscalização do Instituto Municipal de Trânsito (Manaustrans) no local e que os estacionamentos nas calçadas não chegam a influenciar no funcionamento do cartório. “Há estacionamentos privativos perto”, concluiu.

Papel da prefeitura
Já o diretor do cursinho disse que, durante as reformas de adequação das calçadas, o curso deixou um espaço para os pedestres. “Reconheço que os pedestres precisam de espaço e nós fizemos a nossa parte. Se há estacionamento irregulares, a prefeitura deve fiscalizar para ver quem são os infratores”, disse.

Em nota, o Manaustrans informou que, durante a fiscalização, as multas são aplicadas a todos os condutores que cometem infrações no trânsito, independente de sua condição econômica.

O valor da multa prevista pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) para o condutor que estacionar o veículo sobre o passeio público (calçadas) é R$ 127,69, além da perda de 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a remoção do veículo.