Publicidade
Manaus
Manaus

Manaus já registrou quatro sequestros relâmpagos em 2012

O sequestro relâmpago é um dos crimes mais praticados no Brasil. Saiba melhor quais foram alguns casos ocorridos em Manaus este ano e como se prevenir deste tipo de ataque 25/07/2012 às 19:55
Show 1
Delegacia Especializada em Homicidios e Sequestros
Bruno Strahm Manaus

O crime de sequestro relâmpago é um dos mais praticados no Brasil, ele consiste no rapto da vítima e seu recolhimento temporário em um cativeiro, ou junto com os próprios criminosos, enquanto os mesmos fazem saques e compras com o dinheiro do sequestrado.

Em Manaus, foram registrados na polícia desde o começo do ano de 2012 até agora, quatro casos com estas características, de acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Conforme as últimas reportagens publicadas pelo acritica.com, um dos sequestros ocorreu no dia 30 de abril, onde um casal com seu filho foram abordados por dois homens ao chegarem em sua casa. Eles foram obrigados a rodar pela cidade no próprio carro, na companhia dos dois sequestradores, em busca de caixas eletrônicos para realizar saques. Policiais conseguiram interceptar o veículo, mas apenas um dos comparsas foi preso, o angolano Enoch Cosabino.

Outro aconteceu no dia 31 de maio no bairro Dom Pedro I, Zona Centro-Oeste de Manuas. Abordada por sequestradores ao sair de uma lan house, a dona de casa Helena Maria Assunção de Barros foi encontrada horas depois no porta mala de um carro no conjunto Souza Pinto, no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. Nenhum dos sequestradores foi encontrado.

Como se prevenir

A titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), delegada Cristina Portugal, diz que pessoas com alto poder aquisitivo são sempre um alvo em potencial deste tipo de ação, mas que algumas medidas podem dificultar a ação dos bandidos.

"A primeira medida é evitar retirar dinheiro em caixas eletrônicos no horário da noite, existem locais que são muito visados e com diversas vias de fuga para os bandidos. Outra coisa é não ter uma rotina fixa de sua casa para o trabalho e vice versa. Sempre alterne caminhos e horários de chegada e saída, porque antes de te sequestrar, o bandido estuda todos os seus passos," comenta a delegada Cristina.

Ela alerta ainda que é importante sempre ligar para alguém que já esteja em sua residência para lhe esperar do lado de fora, pois um volume maior de pessoas inibe os bandidos que tem na ação surpresa e desatenção das vítimas suas principais armas.

"A hora mais crítica de vulnerabilidade do cidadão ser vítima de um sequestro, ou mesmo de um assalto é ao chegar em sua moradia. Sempre, ao entrar em sua rua, verifique se há carros estranhos no local ou pessoas que você nunca viu antes circulando perto de sua casa. Nunca demore muito tempo para entrar com o carro no estacionamento de sua casa, e sempre ande com os vidros levantados", aconselha a Portugal.

A delegada também destaca que conhecer bem as pessoas que trabalham em sua casa é uma precaução importante. "Conheça bem a vida de quem trabalha diretamente com sua família, como sua empregada por exemplo. Procure ver pessoalmente onde ela trabalha e veja quem são seus parentes," diz.

Como agir caso seja sequestrado

Para a delegada Cristina Portugal, é sempre complicado falar sobre uma conduta certa do comportamento humano em ocasiões extremas como a de um sequestro. "Pela minha experiência em investigação, posso dizer que o melhor é sempre mantêr a calma. É bom não demonstrar desespero ou uma atitude confrontadora, pois o sequestrador vai se sentir acuado, e pode reagir a isso com violência para afirmar seu poder. O criminoso gosta de se sentir superior, de saber que está no controle da situação. Se ele vê que a vítima está com medo e que está cooperando, é o melhor para a segurança do sequestrado", finaliza a delegada.