Publicidade
Manaus
Manaus

Manaustrans admite erros e promete retirar placas que confundem os condutores

Diretor-presidente do órgão, Walter Cruz afirma que placa de 40km/h na Cosme Ferreira está errada e, por isso, foi retirada 12/07/2012 às 08:01
Show 1
Placas que indicavam velocidades diferentes em mesmo trecho da alameda Cosme Ferreira criavam confusão entre motoristas. Nesta quarta, a placa de 40km/h foi retirada e o problema resolvido
Florêncio Mesquita Manaus

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) começou, nesta quarta-feira (11), uma varredura em toda cidade para retirar placas que indicam limites diferentes de velocidade para a mesma via. O trabalho começou após A CRÍTICA mostrar, nesta quarta (11), a existência de placas com as velocidades de 40km/h e 60km/h num mesmo trecho da alameda Cosme Ferreira, na Zona Leste.

O levantamento das vias com placas conflituosas e a retirada dos equipamentos será concluídos até o próximo sábado, conforme previsão do órgão.

As placas confundiam os condutores que se dividiam na adoção das duas velocidades.  A placa que indicava 40km/h foi instalada pelo Manaustrans para alertar sobre uma lombada eletrônica que seria instalada na via. A lombada não chegou a ser instalada porque um estudo feito pela engenharia do órgão constatou que o equipamento não era mais necessário.

Já a placa com velocidade de 60km/h foi colocada pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), há dois anos, para orientar o condutor que quisesse acessar a avenida Governador José Lindoso (avenida das Torres).

A placa que indicava 40km/h foi retirada ainda ontem pelos técnicos do  Manaustrans.

Diretor-presidente do Manaustrans, Walter Cruz admitiu o erro e disse que a responsabilidade sobre a sinalização que confundia o condutor é do órgão e, com isso,  eximiu o Detran-AM de qualquer responsabilidade no caso. Ele ressaltou ainda  que a empresa Consladel deveria ter retirado a placa da Cosme Ferreira e de qualquer outra via que se encontrasse na mesma situação.

Cruz esclareceu que a velocidade máxima para o trânsito da alameda Cosme Ferreira é de fato 60km/h. Ele  falou que o limite de 40km/h é para ruas de conjunto com pouco fluxo de trânsito e só é estabelecido para vias de grande movimentação, onde há faixa de pedestre, retornos, curvas acentuadas e em declive, além de pontos com grande registro de acidentes. Cruz garantiu que iria  procurar as placas erradas e resolver a situação. 

O Detran-AM também se manifestou sobre o assunto e informou, por meio da assessoria de imprensa, que a sinalização das vias da capital amazonense é do Manaustrans. Segundo o órgão estadual, cabe ao instituto fazer os estudos necessários para estabelecer o limite de velocidade da via conforme o fluxo de trânsito.

O departamento também esclareceu que colou a placa de 60km/h com base em estudos técnicos feitos há dois anos na mesma época em que era definida a sinalização para a avenida Governador José Lindoso.

Novos acessos à ponte Rio Negro
A implantação dos acessos viários na saída da ponte  vão  atingir oito quilômetros de extensão. O governador  Omar Aziz (PSD) determinou prioridade máxima nas obras dos novos acessos. “Nós estamos direcionando todos os nossos esforços para esta obra, de forma que ela tenha início imediato e seja realizada no tempo contratual determinado”, revelou a titular da Seinfra, Waldivia Alencar.

De acordo com os estudos já executados, serão feitas três intervenções nos retornos da avenida Coronel Teixeira, a estrada da Ponta Negra, e uma  na rotatória do cruzamento com a avenida Brasil. Também haverá uma intervenção em frente à subestação da Eletrobras Amazonas Energia. O estudo também prevê a construção de um retorno e uma via de acesso no entroncamento com a estrada da Jonasa.

Outra mudança de grande importância para o sistema viário do entorno da ponte e que garantirá fluidez no tráfego, diz respeito à criação de um acesso com início no bairro de São Raimundo, finalizando no bairro Santo Agostinho, ambos na Zona Oeste. O traçado da nova via terá cinco quilômetros, iniciando na rua Jerônimo Ribeiro, em São Raimundo; passando pela estrada Padre Caballero Martin, no bairro da Compensa; avenida B e estrada do Bombeamento, no Santo Agostinho, até chegar na estrada da Estanave e chegar na cabeceira da ponte.