Publicidade
Manaus
Manaus

Marcelo Ramos e Josué Neto concorrem à presidência da Aleam

Marcelo Ramos será o candidato de oposição enquanto Neto terá o apoio do governador Omar Aziz 19/12/2012 às 16:04
Show 1
Assembleia Legislativa do Amazonas
Ana Carolina Barbosa e assessoria Manaus

A eleição para a presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) ocorrerá na próxima quinta-feira (20/12) - último dia de sessão plenária antes do recesso parlamentar -, às 15h, com dois candidatos oficiais até então: Josué Neto (PSD) – nome que recebe o apoio do governador Omar Aziz - e Marcelo Ramos (PSB) -, o qual anunciou nesta quarta-feira sua candidatura com o aval da oposição.

Segundo a assessoria da Aleam, o resultado será anunciado amanhã mesmo. A previsão é que a votação seja concluída uma hora após seu início. A posse ocorre em 1º de fevereiro. Além do presidente Ricardo Nicolau (PSD), serão substituídos o vice-presidente, o 2º e o 3º vices, o secretário-geral, o 1º secretário e o ouvidor-corregedor.

O regimento interno da Casa permite que a inscrição dos candidatos seja feita individualmente ou por chapa formada, já que a votação para cada função também pode ser individual. No caso de Marcelo, ele concorrerá acompanhado de mais um nome, o qual ainda não foi definido. Contudo, ele explicou que a chapa não estará completa. O situacionista Josué Neto não foi localizado para dar maiores informações sobre sua possível chapa.

Antes da votação, no horário da manhã, o plenário estará movimentado com a votação de cerca de 10 projetos de lei – entre eles a Lei Orçamentária Anual (LOA) e projetos oriundos da mensagem governamental. Isso porque, os parlamentares devem zerar a pauta antes do recesso.

Candidatos

Marcelo Ramos, candidato de oposição à presidência, disse que seu nome foi definido nesta quarta-feira, após reunião com os deputados José Ricardo (PT) e Luíz Castro (PPS). De acordo com ele, a intenção era formar uma chapa única. “A oposição deu reiteradas demonstrações de que estava disposta a construir uma chapa única, mas não dá para se constituir em cima de um nome imposto pelo governador”, frisou.

Em nota, Luiz Castro disse que a oposição “apresenta como alternativa um parlamentar atuante, combativo, que representa com dignidade o parlamento estadual”.  Na avaliação do deputado, a interferência do governador Omar Aziz na escolha do novo presidente da Assembléia  Legislativa, representou um gesto de autoritarismo, uma atitude que Castro considerou decepcionante pela imposição do nome do deputado Josué Neto.

“Tivemos uma vitória com a garantia da integridade da Constituição Estadual, que não permite a reeleição, mas fomos surpreendidos com a imposição de um nome, tirando do Legislativo a decisão de escolher o novo presidente”, observou Castro, da tribuna.

Já o líder do PSD na Aleam, deputado estadual Josué Neto, afirmou na manhã desta quarta-feira (19) que a indicação de seu nome para disputar a presidência da Casa Legislativa foi uma decisão tomada pelo governador Omar Aziz na condição de presidente do PSD e que tem como objetivo estabelecer o consenso junto à base governista.

“É importante dizer que essa missão a que me foi dada é uma missão partidária. Não foi o chefe do Executivo que me indicou presidente da Assembleia não. O governador Omar Aziz tomou a decisão como presidente do partido e não como governador. Não existe nenhum tipo de interferência entre o Executivo Estadual e o Legislativo. Se antes seria o deputado Ricardo Nicolau ou o deputado Chico Preto e que ficaria dentro do partido esse comando, essa decisão, então o partido acabou por definir um terceiro nome que é o meu nome. Estamos nessa missão de conciliar, de conversar, com os colegas e fazer com que a nossa base que sempre foi unida continue assim”, disse.

Atualmente, Josué Neto é líder do PSD na Aleam e ocupa o cargo de 3º vice-presidente da mesa-diretora e permanece na vice-liderança do Governo no Poder Legislativo. Está filiado ao PSD desde 2011 e ao lado do presidente da sigla, governador Omar Aziz e da presidente do diretório municipal, primeira-dama Nejmi Aziz, foi um dos principais apoiadores da fundação do partido no Amazonas.