Publicidade
Manaus
Manaus

Marcos Cavalcante pede afastamento da SMTU

A confirmação do afastamento foi dada pela secretária Municipal de Comunicação (Semcom), Celes Borges. De acordo com ela, Cavalcante decidiu se afastar para provar sua inocência dentro do processo o qual ele responde na Justiça Estadual, motivado por denúncias feitas pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE). O órgão o acusa de formação de quadrilha e corrupção passiva 17/03/2012 às 13:13
Show 1
Superintendente da SMTU pediu afastamento na manhã deste sábado (17)
Ana Carolina Barbosa Manaus

O superintendente Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Marcos Cavalcante, acaba de pedir afastamento do cargo desgastado por denúncias feitas por membros de cooperativas do transporte executivo de que ele encabeça uma quadrilha a qual promove a comercialização ilegal de licenças para a exploração do serviço.

A confirmação do afastamento foi dada pela secretária Municipal de Comunicação (Semcom), Celes Borges. Ela explicou que ainda não há definição de quem deverá assumir o cargo e não soube informar quando isso deverá acontecer.

De acordo com a secretária, Cavalcante decidiu se afastar para provar sua inocência dentro do processo o qual ele responde na Justiça Estadual, motivado por denúncias feitas pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE). O órgão o acusa de formação de quadrilha e corrupção passiva.

“Ele pediu afastamento porque achou que afastado fica melhor para as investigações e assim ele pode provar a inocência dele e processar as pessoas que o estão acusando”, afirmou Celes.

No último dia 7, o promotor de Justiça Rodrigo de Miranda Leão ingressou com uma representação na Justiça pedindo o bloqueio dos bens do superintendente e de outras três pessoas, bem como, que ele deixe o cargo público o qual ocupa. O pedido foi reforçado por parlamentares durante os últimos dias. A situação do secretário se tornou mais delicada com a divulgação de vídeos nos quais pessoas identificadas como membros de cooperativas de Manaus aparecem negociando os valores pagos ilegalmente para a manutenção no sistema. Há alguns minutos, a Semcom divulgou uma nota elaborada pelo próprio ex-superintendente.

Veja o texto na íntegra.

Diante da denúncia formulada  pelo  Ministério  Público  do Estado do Amazonas, admitida pela Justiça, decidi, à  luz do bom senso e em respeito  à  própria  administração,  afastar-me  da  presidência  da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos – SMTU, uma vez que os fatos se prestam à exploração da mídia, com evidentes propósitos persecutórios e outros objetivos inconfessáveis.

 Além do mais, a  conjunção desses  fatores, não há a negar, tumultuam  e  prejudicam  a  administração  municipal,  em  especial,  ao comprometerem todo um trabalho desenvolvido de correção e ordenamento do sistema de transporte coletivo de Manaus, reconhecidamente exitoso.

Move-me, por outro lado, a necessidade de dispor de tempo e oportunidade para formular minha própria defesa, com liberdade e sem outros vínculos, na certeza de que ao final a verdade virá à tona, límpida e justa.

Devo  informar,  desde  logo,  que  todas  as  denúncias assacadas contra a minha pessoa são absolutamente mentirosas e infundadas, mas, mesmo  assim,  tiveram  ampla  repercussão na mídia  local,  causando-me prejuízos de toda ordem, e irreparáveis.

Portanto, em homenagem à minha família e à sociedade, não me resta  alternativa,  como  ato  de  livre  e  espontânea  vontade,  que  agora manifesto.

Enfim,  não  tenham  a menor  dúvida,  aqueles  que  hoje me acusam, de forma leviana e criminosa, terminarão respondendo por seus atos, nas esferas civil e criminal. Enfrentei  interesses  escusos  e  espúrios  daqueles  que pretendiam  manter  privilégios  condenáveis,  notadamente  no  setor  de transporte executivo  – um verdadeiro caos, que  infelizmente encontraram na mídia  e  em  formulações  equivocadas,  com  base  em  fatos  que  não  foram minimamente provados, porquanto frágeis e falsos.

Mais  importante  do  que  um  cargo  eventual  é  o  interesse público,  que  farei  tudo  para  preservar.  Toda  essa  situação  espelha uma  luta entre  a  cidade  e  seus  inimigos.  Estou  e  estarei  sempre  ao  lado  do  bom combate.


Manaus (Am), 17 de março de 2012.


Marcos Antônio Cavalcante