Publicidade
Manaus
Manaus

Médicos do AM devem voltar ao trabalho nesta quarta-feira (8)

Com a aprovação das propostas, os médicos que haviam aderido à greve – aproximadamente 3% dos contratados pela rede estadual – devem voltar imediatamente ao trabalho 07/02/2012 às 19:03
Show 1
Os médicos estavam em greve desde o dia 16 de janeiro
acritica.com Manaus

Os médicos que aderiram ao movimento grevista da categoria devem retornar ao trabalho nesta quarta-feira (8). A contraproposta apresentada pela Secretaria de Estado da Saúde (Susam) à reivindicação feita pelo Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam) foi aprovada em assembleia realizada na manhã desta terça-feira (7).

Antes de ser levada para votação, a proposta foi discutida diretamente entre o governador do Estado, Omar Aziz (PSD) e a direção da entidade.

Com a aprovação das propostas, os médicos que haviam aderido à greve – aproximadamente 3% dos contratados pela rede estadual – devem voltar imediatamente ao trabalho. “A expectativa é de que o atendimento esteja 100% normalizado nas nossas unidades a partir da zero hora desta quarta-feira”, disse o secretário da Susam, Wilson Alecrim.

Cinco pontos fazem parte da proposta aprovada pela categoria – assinatura imediata do Decreto de Enquadramento no Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV); formação de uma comissão para reestruturar o PCCV com a correção de inadequações e envio das alterações ao Poder Legislativo em 60 dias; retirada da ação judicial que resultou na ilegalidade da greve; reposição dos dias não trabalhados; e 5,26% de reajuste imediatamente após aprovação do Projeto de Lei.

Wilson Alecrim considerou sensata a decisão da categoria de suspender o movimento e destacou que o enquadramento dos profissionais no PCCV vai gerar ganhos importantes.

Segundo o secretário, a assinatura do Decreto de Enquadramento deve ser feita pelo governador Omar Aziz dentro dos próximos dias. Após a publicação no Diário Oficial do Estado (DOE), os médicos terão 10 dias para recurso e após a finalização deste processo, os valores serão incluídos na folha de pagamento.

O secretário disse que além dos ganhos imediatos, os médicos ganharão com a revisão do Plano. O documento deverá sofrer ajustes como a inclusão do tempo de serviço, item não contemplado na versão atual do PCCV.

Os médicos estavam em greve desde o dia 16 de janeiro e, embora a adesão ao movimento tenha sido pequena, cerca de 10 mil consultas deixaram de ser oferecidas e agora serão repostas para evitar maiores prejuízos à população.