Publicidade
Manaus
Manaus

Membros da Polícia viram cabos eleitorais em eleições do AM

Políciais Civis e Militares se envolveram em tumulto na campanha eleitoral de quatro municípios do interior do Estado 05/10/2012 às 10:30
Show 1
Delegado-geral-adjunto, Mário Aufiero, determinou retorno de policiais de Maués
Jornal Acrítica ---

Pelo menos 15 policiais (das polícias civil e militar), foram identificados como suspeitos de atuarem em benefício de candidatos no interior do Estado nos Municípios de Maués, Manacapuru, Presidente Figueiredo e Uarini.

Nesta quinta-feira (05), cinco policiais civis lotados em Manaus foram identificados no Município de Maués trabalhando para um candidato e o delegado da cidade, Mário Melo, foi afastado da atuação em casos eleitorais sob suspeita de agir de forma parcial em benefício da candidata do prefeito. O presidente do TRE-AM, Flávio Pascarelli, foi até à cidade, ontem, depois de receber denúncia contra o delegado. “Chegando lá, fui informado pela Polícia Federal que dez minutos antes de mim, um avião posou com cinco policiais civis. E eles atuam com armas que são da Polícia Civil”, disse.

O delegado-geral-adjunto, Mário Aufiero, disse que a determinação da Delegacia Geral foi que os três voltassem de imediato a Manaus.

Em Manacapuru, ocorreu a situação mais grave. A juíza eleitoral, Rosália Sarmento, determinou a prisão de dois coronéis, um major, um tenente-coronel e três soldados sob suspeita de atuarem irregularmente para os candidatos a prefeito Ângelus Figueira (PV) e Washington Régis (PMDB).

A corregedora eleitoral Socorro Guedes visitou a cidade, ontem, e o TRE-AM designou um juiz auxiliar para atuar em Manacapuru, em apoio à juíza  Rosália Sarmento até o dia da eleição.