Publicidade
Manaus
Manaus

"Meu candidato não é um pau mandado", diz Amazonino Mendes ao chegar em Manaus

Ao retornar para Manaus, depois de seis semanas em tratamento médico, o prefeito Amazonino Mendes afirmou já ter um candidato para substituí-lo "e todo mundo sabe quem é" 04/10/2012 às 14:21
Show 1
Prefeito foi recebido por secretários do Município, vereadores, assessores e populares
André Alves e Síntia Maciel Manaus

O prefeito Amazonino Mendes (PDT) retornou a Manaus, no início da tarde desta quinta-feira (4), e foi recebido no aeroporto internacional Eduardo Gomes por secretários do Município, vereadores, assessores e populares.

Apesar de sorridente, Amazonino Mendes não falou com a imprensa no aeroporto e seguiu direto para a sede da Prefeitura de Manaus, onde concedeu entrevista coletiva. O prefeito foi recebido com faixas e cartazes que descreviam frases como "Seja Bem Vindo Negão".

Durante a coletiva na Prefeitura de Manaus, Amazonino disse que tem candidato a prefeito e "todo mundo sabe quem é". "Meu candidato não é um pau mandado", afirmou ele.

Ainda durante a entrevista à imprensa, o prefeito afirmou ser "político até a morte". "A única coisa que peço a Deus é para não perder a esperança", comentou. Amazonino ainda arrancou gargalhadas dos presentes ao afirmar: "Tô doido pra comer um peixe".

O prefeito de Manaus disse que vai votar no dia da eleição, em 7 de outubro. Ele passou por cirurgia cardíaca para a desobstruir artéria e ficou seis semanas em tratamento médico.

Amazonino esteve em São Paulo desde o dia 20 de agosto, onde passou por três procedimentos cirúrgicos para a desobstrução de artérias coronarianas no hospital Sírio Libanês.

Polêmica
Na entrevista, o prefeito abordou temas polêmicas como o endividamento do Estado e o abastecimento de água em Manaus. Segundo ele, "o único cara que quis resolver o problema da água em Manaus foi o Negão", fazendo referência a si mesmo. "O resto é tudo picareta", sustentou.

Sobre o endividamento do Estado, ele disse que o Amazonas paga mais em dívidas - R$ 800 milhões, segundo ele - do que a capacidade do Estado em investir. "Ainda este ano a Prefeitura de Manaus terá mais dinheiro para investir que o Estado", garantiu.

Ele ainda classificou de "complicadíssimo" o Programa de Água para Manaus (Proama), mas disse que não queria "entrar em detalhes". Amazonino elogiou o trabalho na nova concessionária de água, a Manaus Ambiental.