Publicidade
Manaus
Polícia,Assalto,quadrilha,Caixa Eletrônico,Itaú,PM,DRCO

Militares envolvidos em explosão de caixa eletrônico, em Manaus, serão expulsos

Um dos soldados, Robson Cascaes de Souza, coforme o comandante geral da PM, coronel Almir Davi, já se encontrava em procedimento de expulsão 08/04/2012 às 13:05
Show 1
Populares observam o que restou do caixa eletrônico, destruído por quadrilha de assaltantes, que foi presa após a explosão
Síntia Maciel Manaus

No período de 15 a 30 dias, a Polícia Militar deverá concluir os procedimentos de expulsão do soldado Ivan Mendes da Costa, 30, preso na madrugada deste domingo (8), após participar da explosão de um caixa eletrônico, no bairro Praça 14 de Janeiro, Zona Sul de Manaus, com outras quatro pessoas.

A informação é do comandante geral da Polícia Militar do Amazonas, coronel Almir Davi.

Outro militar também envolvido na ação, Robson Cascaes de Souza, 30, segundo o coronel Almir Davi, já se encontra em processo de expulsão da Polícia Militar.

”A quadrilha presa já estava sendo monitorada pelos serviços de inteligência da PM, Secretaria de Segurança e Polícia Civil. Para a nossa surpresa, dois soldados integravam a quadrilha”, explica o comandante da PM.

Um oficial da corregedoria foi designado para ouvir tanto Robson quanto Ivan e dá prosseguimento aos trabalhos de expulsão dos dois militares, que eram lotados no 9º Batalhão da Polícia Militar de Manacapuru – município localizado a 84 quilômetros de Manaus.

Segundo ele, as investigações da Polícia Civil dão conta de que os dois soldados deram suporte à quadrilha, no transporte à carga de explosivos utilizados na ação. O material foi transportado pelo rio.

“Iremos agir com rigor nos casos de militares envolvidos com qualquer tipo de crime. A expulsão desses dois soldados deverá servir de exemplo à tropa”, observa Almir Davi.

Internação
Durante a ação da quadrilha, o soldado Ivan foi ferido na cabeça pelos estilhaços da explosão, e após ser preso foi levado para o Pronto-socorro 28 de Agosto, no bairro Adrianópolis, na Zona Centro-Sul de Manaus, onde recebeu atendimento médico.

O soldado Robson, juntamente com os demais integrantes da quadrilha, foi levado para a sede do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus, onde o grupo seria autuado em flagrante.

Conforme o comandante da PM, após os procedimentos do flagrante, Robson seguirá para o Batalhão de Guarda da PM, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus, onde ficará à disposição da Justiça.

O mesmo ocorrerá com Ivan, após receber liberação médica e ser autuado em flagrante.