Publicidade
Manaus
Manaus

Ministério da Integração elabora relatório sobre obras do Maksoud, em Manaus

A obra, que foi paralisada em 1999, fica na Ponta Negra e, segundo o deputado Marcos Rotta, tem oito meses para ser reiniciada 09/08/2012 às 15:39
Show 1
Marcos Rotta afirmou que apesar de não ver nenhuma movimentação de obras na área, ainda tem esperanças de ver o empreendimento concluído
acritica.com Manaus

Na manhã desta quinta-feira (9), o deputado estadual Marcos Rotta (PMDB) teve acesso ao relatório técnico feito pelo Ministério da Integração sobre as obras do Maksoud Plaza, na área da Ponta Negra, em Manaus. De posse do levantamento, o parlamentar questionou o início da retomada da construção e afirmou que irá cobrar do empresário Henry Maksoud a conclusão do empreendimento, previsto para 2014. 

O conteúdo do relatório, resultado de uma fiscalização realizada em outubro de 2011, foi repassado ao deputado pelo diretor do Departamento Financeiro e Recuperação de Projetos do Ministério da Integração, Henrique Sampaio. Em setembro do ano passado, a convite da Comissão Especial da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) – presidida por Rotta -, o representante do ministério visitou in loco as obras do Maksoud. 

Rotta explicou que, conforme o relatório, o grupo já venceu todas as etapas burocráticas impostas pela Controladoria Geral da União (CGU), o que garante ao Maksoud contrair, em um curto espaço de tempo, novos financiamentos junto a instituições bancárias.

“O Grupo Maksoud conseguiu provar a aplicação regular de todos os recursos no empreendimento. Agora, com o aval da CGU e com o atestado do relatório técnico do Ministério da Integração, eles estão aptos a dar continuidade às obras. No entanto, aguardamos por essa retomada desde o início deste ano, conforme promessa feita pelo proprietário Henry Maksoud, durante reunião em São Paulo com membros da Comissão Especial da Aleam (Rotta, Chico Preto e Adjuto Afonso)”, comentou Rotta, ao afirmar que, apesar de não ver nenhuma movimentação de obras na área, ainda tem esperanças de ver o empreendimento concluído.

Ainda de acordo com o relatório, Rotta disse que o grupo tem oito meses para retomar a construção. “Se isso não ocorrer, a Casa irá cobrar a promessa de conclusão da obra feita pelo empresário Henry Maksoud. O que não pode é ficarmos mais dez anos olhando para esse ‘elefante branco’ às margens do rio Negro e depondo contra a imagem de um dos cartões postais da nossa cidade”, disse o deputado.

De acordo com o representante do Maksoud em Manaus, Walmir Ferreira, as obras ainda não foram retomadas porque o projeto inicial está passando por uma reformulação. Segundo ele, a ideia inicial era construir a estrutura com concreto armado, mas o grupo decidiu modernizar a obra utilizando uma estrutura metálica.

Entenda o caso
O Maksoud Plaza Manaus foi aprovado pela extinta Sudam em novembro de 1987 para a construção de um hotel em uma área de 153 mil metros quadrados, no quilometro 7 da estrada da Ponta Negra, próximo ao Hotel Tropical. O projeto foi anunciado com um “verdadeiro paraíso tropical às margens do Rio Negro”, incluindo entre suas atrações uma praia fluvial e uma marina privativa.

As obras foram paralisadas em 1999, quando denúncias de irregularidades na aplicação de recursos da extinta Sudam vieram a público e começaram a ser investigadas pela Procuradoria da República no Amazonas, Mato Grosso e Pará.