Publicidade
Manaus
Manaus

Missa do Lava-pés reúne centenas de fiéis em Manaus

O arcebispo Dom Luiz Soares lembrou o momento de humildade feito por Jesus Cristo e homenageou os profissionais da saúde que cuidam dos enfermos todos os dias 05/04/2012 às 23:04
Show 1
Na prova de que só amor constrói, a humildade de Cristo sendo repetida no beijo aos pés
Mariana Lima Manaus

Fé, emoção e amor marcaram cerca de 400 fiéis que estiveram presentes na celebração da missa do Lava-pés, ou missa da Ceia do Senhor, realizado na noite desta quinta-feira (5) na Igreja da Matriz no Centro de Manaus. O tema da Campanha da Fraternidade deste ano foi lembrado na escolha dos cristãos que tiveram seus pés lavados: profissionais da saúde que trabalham em hospitais públicos e enfermos da comunidade.

Com a ajuda de três coroinhas e abaixando-se com certa dificuldade, de um por um o arcebispo da cidade, Dom Luiz Soares, lembrava aos fiéis presentes o momento em que Jesus Cristo lavou os pés dos apóstolos em sinal de humildade, lavando os pés de doze membros da comunidade. Sentados em cadeiras colocadas no corredor central da igreja, enfermos, deficientes físicos e profissionais da saúde compuseram um dos atos mais importantes para os católicos: o sinal máximo de amor ao próximo.

“É preciso tirar do coração todo o sentimento de orgulho e de superioridade. Se todos nós, membros da sociedade, os políticos e até mesmo dentro das nossas famílias cultivássemos esse hábito, o nosso mundo seria melhor”, afirmou Dom Luiz durante sua homilia, lembrando os ensinamentos de Jesus.

Durante a celebração, o arcebispo lembrou a importância dos profissionais da saúde, que durante seus trabalham servem a comunidade, realizando um “lava-pés” diário: “Nós temos que reconhecer o trabalho dessas pessoas que atendem a comunidade com muito amor. É claro que há aqueles que trabalham sem vocação e acabam tratando mal as pessoas, mas a maioria dos servidores atende bem a comunidade”, disse.

O ato de fé era visto durante a celebração, quando muitos católicos se emocionaram com as músicas e orações. O portuário José Nascimento, 55, morador do bairro Coroado disse que costuma a ir a celebrações de outras paróquias, mas que não abre mão de conferir essa missa na Catedral: “Para mim é uma espécie de compromisso e tradição. Não sou membro de nenhuma pastoral, mas costumo ir à missa toda a semana. Mas a celebração aqui na Catedral é mais bonita”, disse.

Para a assistente social Reuly Ferreira, 29, a missa teve uma importância essencial, ela foi uma das escolhidas para ter os pés lavados pelo arcebispo: “Neste momento relembramos o que Jesus fez que foi lavar os pés dos discípulos. E a gente trabalhando, no hospital, podemos fazer um pouquinho o que Cristo fez que é tentar proporcional vida e abundancia”, relata emocionada.

O momento de reflexão seguiu com o início da Adoração Eucarística, onde o corpo de Cristo será velado até o início da Via Sacra previsto para acontecer às 9h desta sexta-feira (6). Para auxiliar na proteção dos fieis, cerca de 400 policiais militares vão estar na Igreja da Matriz até as 22h, horário que terminou a adoração.