Publicidade
Manaus
retirada famílias

Moradores de casas ameaçadas por barranco em Manaus vão ser retirados pela Prefeitura

Município deicidiu retirar duas famílias cujas casas são ameaçadas por barranco.  Elas vão receber auxílio-moradia  de R$ 250,00 03/02/2012 às 10:06
Show 1
Os demais moradores da área permanecerão no local uma vez que as obras para estagnar o avanço de uma voçoroca vão ser realizadas de imediato pela Seminf
Jornal A Crítica Manaus

Duas das 20 famílias que residem na rua Londres, no bairro Grande Vitória, Zona Leste de Manaus, nas proximidades da cratera de pelo menos 35 metros de profundidade, serão retiradas do local para serem incluídas no sistema de auxílio-moradia da Prefeitura de Manaus. Ontem, equipes da Defesa Civil e das secretarias de Infraestrutura (Seminf) e Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) estiveram no local.

A Seminf iniciou as obras para conter o vazamento de esgoto que vinha contribuindo para acelerar o processo de erosão do buraco. Já a Semasdh entrevistou os moradores e verificou a situação das moradias que estão mais propensas a serem atingidas pela erosão.

A assessoria de imprensa da Semasdh informou que apenas as famílias de Pedro Guimarães da Silva e de um outro morador não identificado (a secretaria ainda verifica em nome de que membro da família será realizado o acordo) serão retiradas de suas casas e receberão auxílio-moradia no valor de R$ 250,00. O valor será utilizado pela família apenas para pagamento de aluguel em casas procuradas pela secretaria.

 Ainda segundo a assessoria, as famílias serão consultadas sobre o novo local e, caso não concordem, será indicado outro imóvel no mesmo valor. O recurso será disponibilizado sem prazo estipulado para ser suspenso. O secretário da Semasdh, Sildomar Abtibol, afirmou que com a entrada de máquinas e a delimitação das margens do terreno a situação ficará sob controle. “O que nos preocupa aqui são as pessoas, mas já estamos resolvendo para, enfim, garantirmos a integridade física delas”, destacou.

Mas as demais famílias, segundo a Semasdh, permanecerão no local uma vez que as obras para estagnar o avanço de uma voçoroca serão realizadas de imediato pela Seminf. De acordo o gerente de divisão da Seminf, Renato Martins, as primeiras medidas a serem tomadas serão o desvio da “água usada” para outro trecho da rua que não o barranco, a desobstrução dos bueiros, tomados por lixo e terra, e a entrada de máquinas para retirar todo material que se encontra no sob o pé da encosta. “Mais adiante, construiremos um talude, que é um plano inclinado para limitar o terreno. É por meio dele que vamos garantir a estabilidade da terra”, explicou Martins. Talude é o plano inclinado que limita um aterro e liga a plataforma continental à região abissal para garantir a estabilidade do aterro.