Publicidade
Manaus
Manaus

Moradores elogiam tranquilidade mas lamentam falta de espaço de lazer em bairro de Manaus

Um local seguro é como os moradores caracterizam o bairro Nova Esperança, situado na Zona Centro-Oeste de Manaus, o que acaba superando a falta de prestação de serviços 18/03/2013 às 09:26
Show 1
Apesar de ter surgido a partir de uma invasão, o Nova Esperança têm ruas largas e é considerado um local seguro
Ana Celia Ossame ---

Situado na Zona Centro-Oeste de Manaus, o bairro Nova Esperança justifica o nome. A maioria dos moradores gosta de viver ali porque, apesar de ter sido fruto de ocupação desordenada há mais de 30 anos, deixaram ruas largas, tem um serviço de transporte eficiente e em questão de segurança ainda é consideravelmente bom.

Moradores mais antigos do lugar, como dona Josefa de Jesus Aquino, 84, que vive há 30 anos no bairro, diz não ter do que reclamar, opinião reforçada pela comerciante Luziandra Vieira Chagas, 34, mãe de quatro filhos. “O que gosto daqui é a proximidade do Centro da cidade e, como não falta ônibus para esse trajeto, fica tudo bem”, argumentou.

Mãe de quatro filhos, dos quais apenas três ainda estão em idade escolar, Luziandra lembra ter chegado ali quando as ruas não passavam de caminhos abertos no barro e era difícil para entrar e sair. Para ela, na questão de segurança, não há diferença dos demais bairros da capital amazonense. “Em todos têm usuários de drogas e outros problemas que resultam em violência, mas conseguimos viver bem”, assegurou.

ESCOLAS

A área ocupada hoje pelo bairro Nova Esperança foi a primeira de uma série de invasões que predominaram na área e que se consolidaram como o Lírio do Vale, Santo Agostinho, entre outros. Embora alguns desses bairros tenham conseguido ganhar postos de serviços como agências bancárias, loterias, farmácias e Correios, o Nova Esperança ficou para trás. “Não sei porque não tem feira aqui, faz muita falta porque temos que ir para o Alvorada ou para o Lírio do Vale”, contou a dona de casa Maria de Fátima Santos de Oliveira, 59, outra moradora que vive no local desde o início da ocupação da área.

“Sou pioneira aqui, conheço muita gente e lembro bem como era difícil esse local”, disse ela, para quem seria necessária a instalação de uma feira para atender os moradores. “Outra coisa difícil é a falta de uma farmácia, mas ninguém ainda teve a ideia de trazer uma para cá”.

Faltam espaços para lazer

Apesar da existência de uma rua comercial com vários boxes comercializando produtos diversos, a falta de espaços para o lazer e a diversão no bairro Nova Esperança é um fato lamentado por todos os moradores do lugar. De acordo com eles, isso não foi pensado na época da ocupação porque há 30 anos, isso não era considerado importante.

O comerciante Cândido de Oliveira Costa, 51, diz que esse é um problema, assim como a falta de uma agência bancária ou lotérica para os serviços de pagamento de contas. “O bom aqui é que é um bairro tranquilo”, assegurou ele, morador do bairro há 12 anos.

Já a falta de espaços para uma praça ou área de lazer é lamentada pelas crianças e adolescentes, que acabam tendo que brincar na rua, expondo-se a acidentes com carros. “É muito ruim não ter um local aqui onde se possa reunir as crianças para brincar, mas isso acontece na maioria dos bairros’, disse a dona de casa Shirlei Campos, 50.