Publicidade
Manaus
Manaus

Moradores fazem protesto contra a falta de água nas Zonas Norte e Leste de Manaus

Integrantes de movimentos sociais e associações de moradores fizeram passeata no São José para alertar contra o problema 24/03/2012 às 09:09
Show 1
Manifestantes cobraram providências para o abastecimento de água
CAROLINA SILVA Manaus

Em protesto pela falta d’água nas Zonas Norte e Leste de Manaus, integrantes de movimentos sociais e associações de moradores percorreram em passeata, na manhã dessa sexta-feira (23), um trecho da avenida Grande Circular, bairro São José, para chamar a atenção do poder público ao problema nestas áreas.

“A minha família toda mora aqui na Zona Leste e o fornecimento de água é durante uma hora por dia. Temos que acordar às 2h ou 3h da madrugada para armazenar água nos camburões. E é uma vergonha pra nós porque temos a maior bacia hidrográfica de água doce do mundo e não temos água na nossa torneira”, protestou Milena Marulanda, coordenadora estadual da União Nacional por Moradia Popular (UNMP).

O grupo de manifestantes criticou a ausência da participação popular nas discussões sobre os problemas da falta d’água nas Zonas Norte e Leste junto ao poder público e a longa espera pelo funcionamento do Programa Água para Manaus (Proama) do Governo do Estado.

“Nós queremos saber pra onde foi todo aquele dinheiro para a ampliação da rede de abastecimento. E cadê a água? Ainda não vimos uma gota sequer desse programa”, reclamou a aposentada Jacira Melo, 66.

A obra do Proama recebeu um investimento de R$ 365 milhões. A ideia seria vender a água produzida na tomada d'água à concessionária Águas do Amazonas. A obra estava prevista para ser entregue em janeiro de 2010, mas o prazo já foi adiado mais de cinco vezes pela coordenação do programa.

A manifestação também teve o intuito de convocar a população a acompanhar os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Água que está investigando o não cumprimento de cláusulas contratuais da concessão do serviço de abastecimento pela empresa Águas do Amazonas. Como autor da proposta de criação da CPI da Água, o vereador Waldemir José (PT) acompanhou a passeata e reforçou a importância da participação da população nas discussões que buscam solucionar o problema de falta d’água em Manaus.

“Sem essa participação, a CPI vai dar em ‘pizza’. Já são 12 anos que a Águas do Amazonas vem atuando em Manaus e cadê os bons resultados?”, questionou o parlamentar. Para o morador do bairro Jorge Teixeira, Alcir Monteiro, 45, em meio a tantas discussões que cercam a falta d’água na capital amazonense os resultados não estão sendo vistos em prática.

“O poder público vive apresentando proposta pra solucionar e nada sai do papel para, de fato, ser resolvido”, reclamou.

400 mil pessoas não têm acesso ao sistema de abastecimento de água em Manaus, segundo dados da concessionária Águas do Amazonas. Essa parcela está localizada nas Zonas Norte e Leste. A CPI da Água deve ser concluída dentro de três meses.