Publicidade
Manaus
Manaus

MP denuncia prefeito e membros de sua família por desvios que somam R$ 10 milhões no AM

Ministério Público pede que o prefeito de Coari, Arnaldo Mitouso, e todos os denunciados que ocupam cargos na administração municipal, sejam afastados das funções públicas 29/08/2012 às 17:49
Show 1
MPE denunciou à Justiça 27 pessoas, entre elas, o prefeito de Coari e membros de sua família
acritica.com Manaus

O prefeito do município de Coari, Arnaldo Mitouso, e membros de sua família, foram denunciados à Justiça do Amazonas pelo Ministério Público Estadual (MPE/AM) por desvios de recursos da ordem de R$ 10 milhões.

O MP pede que o prefeito, e todos os denunciados que ocupam cargos na administração municipal, sejam afastados das funções públicas.

Responsável pela denúncia, o procurador-geral de Justiça, José Hamilton Saraiva dos Santos, afirma que a acusação teve início em denúncia feita pelo ex-secretário municipal de Administração de Coari, Evandro Rodrigues de Moraes.

A denúncia contém 79 laudas e descreve a conduta de cada um dos acusados. Ao final, pede a condenação de todos e o afastamento dos que exercem funções públicas, inclusive o prefeito.

Foram denunciados ao Tribunal de Justiça do Amazonas, sob a acusação de desvio de recursos públicos da Prefeitura de Coari que somam mais de R$ 10 milhões: Ariton Lopes Nogueira, Marilúcia Meireles de Lima, Jonilton Fernandes Amorim,  Aylesandro Herles Oliveira Soares,  José Getúlio Rodrigues,  José Railson de Oliveira Torres, Cleomir Denys de Araújo Costa, Adanilo Rodrigues da Silva, Pedro Lopes de Souza, Evandro Rodrigues de Moraes, Miguel de Moura Ribeiro,  Sirce Maria S. dos Santos,  Sebastiana de Oliveira Torres, Ossias Jozino da Costa,  Aldemir Almeida Mitouso, Arnaldo Jefiter Guimarães Mitouso, Arnaldo James Guimarães Mitouso,  Aldeneida Guimarães Mitouso, José Pereira da Silva, Railson Araújo de Oliveira e Sérgio Henrique Sá Ataide.

Em anexo leia a denúncia do Ministério Público Estadual na íntegra.

Resposta

O prefeito Arnaldo Mitouso enviou nota à imprensa defendendo-se das acusações do Ministéio Público.