Publicidade
Manaus
Manaus

MPE denuncia 19 pessoas envolvidas em sequestro de empresário em Manaus

Crime foi cometido por bando contra Wellington Lins, irmão dos deputados Berlarmino e Átila Lins, em dezembro de 2011 25/03/2013 às 08:02
Show 1
Fabrício da Silva Sales e Hemerson da Silva Brito; todos os presos foram indiciados por formação de quadrilha e extorsão mediante sequestro
Joana Queiroz ---

As 19 pessoas denunciadas pelo Ministério Público Estadual (MPE) pelo sequestro e cárcere privado do empresário Wellington Lins de Albuquerque, ocorrido no dia 10 de dezembro de 2011, serão ouvida pela primeira vez em juízo nos dias 29 e 30 de abril, 2 e 3 de maio. A audiência de julgamento foi marcada pela juíza titular da 5ª Vara Criminal da Andrea Jane Silva de Medeiros. Os sequestradores exigiam a quantia de R$ milhão pelo resgate, que chegou a ser pago pela família do empresário.

Na audiência serão ouvidas testemunhas que são as arroladas pela defesa dos réus, as de acusação, arroladas pelo Ministério Público, além das vítimas. De acordo com a denúncia apresentada pelo MPE e recebida pela Justiça, Wellington Lins de Albuquerque e os funcionários Willas da Silva Oliveira e Raimundo Castro Alves, foram rendidos por Fabrício, Amarildo, Hemerson, Caio e Moacir, e mais um adolescente, quando chegavam ao sítio do empresário no quilômetro 4 da rodovia BR-174 (Manaus-Boa Vista).

As vítimas foram levadas e mantidas em um cativeiro localizado no quilômetro 21 do Ramal do Pau Rosa, na BR-174, que seria uma espécie de um bueiro. Logo após o sequestro, os acusados entraram em contato com a família de Lins, exigindo o resgate no valor de R$ 1 milhão, no dia 12 de dezembro. O pagamento foi efetuado num posto de combustível nas proximidades do sítio, na BR-174.

Plano

Ainda de acordo com a denúncia, o plano para sequestrar o empresário foi arquitetado por Fabrício da Silva Sales, que teve informações da rotina do empresário por meio do adolescente, que trabalhava na empresa de Wellington Lins, a Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro). A maioria dos réus continua presa. Semana passada, Fabrício entrou com pedido de relaxamento de prisão, mas foi indeferido pela juíza Andrea Jane. A magistrada informou que ainda não dá para dizer se os réus serão sentenciados ou não, somente depois da audiência é que ela decidirá.

Denunciados

Fabrício da Silva Sales, o “Marcelinho”, 18; Amarildo dos Santos Gomes, o “Tico”; Hemerson da Silva Brito, o “Thon”; Caio Júnior Ferreira Machado; Moacir Teixeira da Silva, o “Pajé”; Camila Oliveira Falcão; Adriano da Silva; Valdenice Rodrigues da Silva, a “Nice”; Fabiana da Silva Sales, a “Tita” ou “Tieta”; Diorgis Luiz da Silva Pereira; Jhone César Tolentino da Silva, o “Lourinho”;  Janilson dos Santos Ferreira, o “Filé”; Jailson dos Santos Ferreira; Alcino Vaz Matias; Florisnei Bezerra Sales, o “Nei”; Dilza Teixeira da Silva; Willian dos Santos Brito; Jackson Pereia Brandão; e Kelli Cativo Mota foram denunciados pelo promotor Vicente Augusto Borges de Oliveira como sendo o os autores do crime contra Lins.