Publicidade
Manaus
Manaus

MPE quer cancelar concurso da Semsa realizado neste domingo (3) em Manaus

Falhas se repetiram neste domingo (3) em concurso marcado por problemas 04/06/2012 às 07:55
Show 1
As candidatas Juliana Afonso e Simone Russo fizeram protesto isolado denominado os "Palhaços da Semsa", na unidade onde fizeram as provas
Maria derzi Manaus

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) pretende ingressar com uma ação civil pública na Justiça para pedir o cancelamento das provas do concurso da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), devido aos diversos problemas que ocorreram, neste domingo (3), durante a aplicação das provas. O MPE foi autor de uma ação cautelar pedindo a suspensão antecipada do certame, que teve várias falhas na semana passada.

A promotora de Justiça Delisa Vieiralves afirmou que o MPE já previa erros na aplicação das provas e, para resguardar o direito dos candidatos, pediu o adiamento da aplicação dos exames.

“A gente tentou, como medida preventiva, fazer com que os candidatos não fossem submetidos essas situações. Até porque, hoje (ontem), também houve a aplicação das provas do concurso da Ufam, que iria atrapalhar os candidatos. Agora, os fatos ocorridos hoje (ontem) serão inseridos nas nossas investigações. Com certeza receberemos denúncias dos candidatos no MPE, com base nesses fatos, nessa semana, vamos mover uma ação civil pública requerendo, ao judiciário, que o concurso seja cancelado e aguardar o que ele vai decidir”, explicou a promotora.

Erros se repetem
Os candidatos  que prestaram exames no turno matutino, reclamaram de erros nas provas aplicadas ontem. Entre os principais, estão falhas na identificação do local de prova. Candidatos que estavam lotados para prestar os exames na Escola Estadual Professor Juracy Batista Gomes, localizada no Amazonino Mendes, na Zona Norte, foram direcionados para o bairro Novo Aleixo.

“Não fiz a prova. Descobri que o endereço estava errado e não deu tempo de chegar à escola. Tô me sentindo enganado, acho que eles fizeram de propósito”, desabafou o candidato Emílio Barbosa Gomes.

Em outro caso, o nome do candidato foi grafado na prova errada. “Eu me inscrevi para vaga de assistente de saúde e a minha prova era para motorista”, explicou o candidato Emerson de Souza. À tarde, os candidatos estavam apreensivos. A maioria acreditava que, de uma hora para outra, sairia decisão contrária à realização do concurso seria interrompido. “Eu só espero que a prova valha. A gente já sabe que houve fraude e o Ministério Público tem que agir nesse caso, tomar providências contra a Cetro Concursos (empresa realizadora do concurso público)”, disse a candidata Rosa Portela.

Alguns candidatos chegaram a realizar protestos pacíficos. Durante as provas, as alunas Juliana Afonso e Simone Russo usaram nariz de palhaço para simbolizar o movimento “Palhaços da Semsa”.

Em nota, a Prefeitura de Manaus informa que o único incidente registrado ocorreu na Escola Estadual Juracy Batista, nas provas para assistente em saúde - laçador, nível fundamental. Por falha na logística de distribuição, as provas foram canceladas. A Cetro Concursos já foi notificada  a responder sobre o problema.

Problemas persistentes

Maio/2011 - Concurso do Manaustrans é cancelado após confusão e vazamento de provas.

Agosto/2011 - Semed adia concurso após suspeita de fraude da organizadora, Funcab.

Março/2012 - Suspenso concurso da Guarda Metropolitana após questões das provas vazarem em cursinhos, antes da aplicação dos exames.

Maio/2012 - Organização adia concurso da Semsa por desordem na entrega das provas.