Publicidade
Manaus
Manaus

MPE quer novo julgamento de PMs suspeitos de atirar em adolescente e outro júri pode ser formado

Até esta quarta-feira (8), os policiais continuavam presos, segundo o comandante da PM 09/08/2012 às 08:09
Show 1
Almir David disse que um PM foi expulso
jornal a crítica Manaus

A absolvição dos dois soldados da Polícia Militar do Amazonas, André Luiz Castilhos Campos e Rosivaldo de Souza Ferreira, suspeitos de atirar em um adolescente em agosto de 2010, em Manaus foi reprovada não apenas por internautas, mas também pelo Ministério Público do Estado (MPE), que já recorreu da sentença para reverter a decisão.

De acordo com o promotor de Justiça Ednaldo Medeiros, que atuou no julgamento, a decisão do júri foi contrária aos autos. “Os jurados não reconheceram a materialidade do crime, como as imagens que mostram claramente o momento em que os disparos são feitos”, explicou.

Se aceito o pedido do promotor, será realizado um novo julgamento e será convocado um novo Júri Popular. Já o juiz deverá permanecer o mesmo.

O comandante geral da Policia Militar, coronel Almir David, explicou que os dois PMs continuam presos à espera do posicionamento da Justiça e da chegada do alvará de soltura.

Segundo ele, após esses procedimentos formais, um dos PMs, que ele não soube identificar o nome, já havia sido excluído da corporação, mas deverá recorrer para retornar às atividades. O outro voltará ao trabalho, mas exercendo funções administrativas.

“Estamos apenas aguardando o posicionamento formal da Justiça, ainda não sabemos o que vai acontecer, visto que o MPE recorreu”, disse.

Os policiais absolvidos estavam presos no Batalhão da Polícia Militar há um ano e quatro meses, com os outros três suspeitos do crime. O PM André Luiz Castilhos Campos era acusado de tentativa de homicídio qualificado e coautoria de roubo qualificado. Já o policial Rosivaldo de Souza Ferreira era acusado de comunicação falsa de crime, coautoria de tentativa de homicídio qualificado e coautoria de roubo qualificado.

Os jurados absolveram os réus após 13 horas de julgamento. O crime ocorreu em 17 de agosto de 2010. Em um vídeo de uma câmera de segurança particular, sete PMs aparecem atirando em um adolescente de 14 anos no bairro Amazonino Mendes, Zona Leste de Manaus.