Publicidade
Manaus
TRANSPORTE PÚBLICO

Mudança nos leitores de carteirinha de ônibus de Manaus gera nova polêmica

Antes, máquinas mostravam quantidade de créditos dos usuários. Porém, sem aviso prévio, Sinetram mudou e passou a informar apenas o valor das passagens em dinheiro 23/10/2017 às 05:00
Show 95
Foto: Agência Brasil
Isabelle Valois Manaus (AM)

Uma mudança polêmica que vem confundindo usuários de ônibus em Manaus completou uma semana hoje. Desde a última segunda-feira (16), quem utiliza o Passa Fácil, Cartão Cidadão ou a Carteira Estudantil nos leitores de catraca dos coletivos da cidade não vê mais a quantidade de créditos disponíveis, mas o valor das passagens em dinheiro. O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram) confirmou a mudança.

Entretanto, tal alteração na amostragem dos créditos dos usuários, além de não ter sido amplamente divulgada, não atende à Lei nº 1.585 de 2011, que substituiu o sistema de bilhetagem pelo Sistema Integrado da Gestão Inteligente de Transporte (Sigit), que estabelece o uso de “créditos eletrônicos”, e não valores monetários.

Para o universitário Abraão Mota, 26, a mudança não contribui em nada, pois além de causar confusão, não foram discutidas. “Conheço pessoas que disseram terem tido R$ 4 descontados na passagem. Outra que, quando foi pagar com a integração, descontaram um valor integral de uma passagem. Quando o sistema em créditos, tínhamos um controle maior”, disse.

Falta de informação

Na semana passada, após a mudança, a vendedora Daniele Goes, 32, procurou o posto de recarga que fica dentro do Terminal de Integração 2, localizado na Cachoeirinha, Zona Sul, para entender as mudanças, mas quando chegou no guichê só recebeu um panfleto e após muito procurar. “No meu caso, o local em que trabalho deposita o vale transporte de 15 em 15 dias. Quando foi esta semana, tomei um susto, pois não havia entendido o que estava acontecendo, pensava que tinham depositado muitos vales na minha carteirinha e procurei um dos pontos de recarga, mas ninguém me explicou nada. Depois me entregaram o folheto, mas eles deveriam estar sendo distribuídos em todo lugar. A mudança dificulta o acompanhamento se a cobrança foi correta. Isso tudo é só para eles (empresários) se beneficiarem”, criticou.

Para a dona de casa Eliana Carvalho, 48, a mudança só beneficia as empresas, pois quando houver o aumento da tarifa, será mais fácil o sistema descontar o novo valor, enquanto no sistema antigo eles não podiam, pois era diretamente o número de passagens. “Agora, pagamos uma tarifa absurda para um sistema caótico. Enquanto eles estão batendo cabeça para ver como se aproveitar ainda mais da população, deveriam estudar uma melhoria geral no sistema”.

SMTU aprovou medida

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) informou que apresentou o novo modelo de recarga à Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), que autorizou a iniciativa. “A maioria das capitais brasileiras já operam com este sistema”, destacou.

Sobre saldos no cartão, o Sinetram explicou que caso o usuário tenha R$ 0,50, ele pode complementar a passagem em um dos pontos de recarga para completar o saldo, não podendo fracionar o pagamento no ônibus.

Quanto às denúncias de cobranças acima do valor estipulado, o sindicato solicita que o usuário entre em contato com a Central de Atendimento, através do número 2123-0700, e informe o número do cartão. Caso seja constatada alguma irregularidade, o passageiro será ressarcido.

Nenhuma denúncia formal

A Superintendência Municipal dos Transportes Urbanos (SMTU) informou que até o momento não recebeu nenhuma reclamação formal relacionada às mudanças ocorridas no sistema de bilhetagem eletrônica. Para registrar a denúncia, é necessário ligar para o Serviço de Atendimento do Consumidor (SAC) no 3653-4289; 3654-7152 / 98802-3504 (WhatsApp).

LEIA MAIS

Usuários terão apenas 30 segundos para passar nas catracas dos ônibus em Manaus

Ônibus que levava trabalhadores do Distrito é atacado por bandidos