Publicidade
Manaus
Manaus

Mudanças na feira da Manaus Moderna por conta da cheia do Rio Negro

Permissionários estão em dúvida sobre o melhor lugar para transferir os negócios deles após água invadir terreno da feira 09/05/2012 às 07:38
Show 1
Alagação na Manaus Moderna dificulta o acesso de clientes e comerciantes
jornal a crítica Manaus

Transferência dos feirantes da Feira Coronel Jorge Teixeira, a ‘Manaus Moderna’, para outro local do Centro provocou dúvidas entre os permissionários que, até esta terça-feira (8), não sabiam para onde seriam levados pela prefeitura. A mudança ocorre devido à enchente, que já alagou 85% da rua Barão de São Domingos.

Conforme o feirante José Murilo, uma lista circulou nesta terça (8) pelos boxes da feira oferecendo duas opções.

“Apresentaram uma lista com os nomes da praça dos Remédios e em frente à Feira da Banana, onde ficamos em 2009.  Muitos marcaram a opção da praça porque, em 2009, muitos permissionários tiveram prejuízos lá”, disse ele.

Outros comerciantes do local disseram que apenas os feirantes do setor do peixe tinham concordado em ir para frente da Feira da Banana. “Eu ainda não consegui entender totalmente essas mudanças. Se já está definido que vamos para perto da Feira da Banana, para que fizeram circular uma lista com duas opções?”, questionou Maria Carmélia, 42.

Permissionário do setor de temperos, Fábio Lacerda, 32,  falou que prefere ir para a praça dos Remédios. “Em 2009, quando fomos para a Feira da Banana, eu tive um prejuízo enorme. Ninguém ia lá comprar temperos. A decisão de ir para lá, foi tomada apenas pelos vendedores de peixe”, disse.

Segundo a comissão gestora da feira, quatro opções foram apresentadas aos feirantes. “Foram oferecidas as opções de ir para a Feira da Banana, praça dos Remédios, estacionamento da Feira da Banana e próximo à Usina Chaminé. Eles escolheram ir para frente da Feira da Banana. Temos a relação de 229 pessoas que aceitaram”, disse a vice-presidente da comissão Ana Cláudia Carvalho. Ela disse também que os primeiros setores que vão deixar a feira são os de carne e peixe.

A Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento  informou que o local escolhido é próximo à Usina Chaminé. “Hoje (ontem) começaremos a construção de barracas de madeira, com estrutura de alumínio. O prazo do término das obras é de dez dias. Inclusive, haverá trabalhos nos fins de semana para adiantar as obras”, disse a assessoria do órgão. O custo da obra será de R$ 626 mil.