Publicidade
Manaus
DESESPERO

Familiares procuram mulher que desapareceu após visitar marido no Compaj

Andressa Castilho de Souza, 23, deixou o presídio às 9h58 da última terça-feira (28), após entregar uma cesta básica ao marido e não voltou para a casa 05/12/2017 às 07:16 - Atualizado em 05/12/2017 às 08:52
Show andressa
Familiares e amigos de Andressa realizaram uma manifestação para cobrar respostas sobre o desaparecimento dela. Foto: Antônio Lima
Danilo Alves Manaus (AM)

A frase “você viu a Andressa?” tem sido as palavras mais faladas na rua São Vicente de Paula, no bairro Compensa, na Zona Oeste de Manaus. Lá moram familiares e amigos de Andressa Castilho de Souza, 23, desaparecida há uma semana, depois que a jovem saiu de casa para visitar o marido no regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no Km 6 da BR 174, mas não voltou para casa.

O pai da jovem, pastor Rilson Moraes de Souza, 46, disse que, todo o mês, a filha visitava o companheiro, identificado apenas como Júlio César, no Compaj. Conforme ele, Júlio está preso há um ano pelo crime de roubo.  No dia do desaparecimento, por volta das 7h, Andressa saiu de casa para levar uma cesta básica  para o marido.

“Na maioria das vezes ela ia sozinha. O registro da cadeia informa que ela entrou na unidade por volta de 8h07 e saiu do local às 9h58, após entregar o ‘rancho’”, disse ele.

O pai disse também que a filha perdeu a condução que a levaria para o início do ramal das unidades prisionais e pode ter sido durante esse trajeto que algo aconteceu com Andressa. Rilson registrou o desaparecimento da filha na Delegacia Especializada de Ordem Política e Social (Deops), na última quinta-feira (21), e solicitou à administração do Compaj as gravações do circuito de segurança, mas foram negadas à família. 

“O caminho entre o Compaj e o início do ramal tem pelo menos três quilômetros, mas não temos nenhuma ideia do que realmente aconteceu. A responsabilidade de patrulhar aquela área é da  Polícia Militar e Força Nacional. Eu não acredito que ninguém viu nada”, criticou.

Já a mãe de Andressa, a dona de casa Elzirene Castilho Campos, 44, mobilizou moradores e  amigos de Andressa para procurá-la. Uma manifestação em frente ao Compaj foi realizada no domingo, mas até o momento, nenhuma pista sobre o paradeiro da jovem foi encontrada.

“Meu coração está muito apertado. Ela nunca foi de não dar notícias. Minha filha é uma boa pessoa e ,principalmente, boa mãe. Só quero que esse pesadelo acabe e a polícia traga minha filinha de volta”, disse ela.

Conforme a família, Andressa vivia junto com Júlio César há pelo menos três anos. Ela é mãe de três filhos, um de 7, do primeiro casamento, e outros dois de 3 anos e 1 ano, filhos de Júlio César.  A Polícia Civil informou que a investigação sobre  o caso  está em andamento.

Informações

Quem puder colaborar com informações que levem ao paradeiro de Andressa Castilho de Souza, 23, pode entrar em contato com os policiais civis da  Deops pelo número: (92) 3214-2268 ou falar diretamente com os familiares da moça pelo telefone (92) 99104-0245. A Deops está localizada no prédio da Delegacia Geral, no Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste.