Publicidade
Manaus
NÃO RESISTIU

Mulher que teve 90% do corpo queimado pelo marido morre em hospital de Manaus

A informação foi confirmada pelo Instituto Médico Legal (IML). A mulher respirava com ajuda de aparelhos e estava internada desde 2 de outubro 17/11/2017 às 08:19 - Atualizado em 17/11/2017 às 09:11
Show 28 de agosto
A mulher estava internada no Hospital 28 de Agosto (Foto: Arquivo AC)
acritica.com Manaus (AM)

A autônoma Dalva Célia Silva da Silva, de 39 anos, que teve 90% do corpo queimado pelo marido no município de Parintins, morreu na noite dessa quinta-feira (16) no Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, em Manaus. A mulher foi transferida para a unidade hospitalar da capital no dia 2 de outubro e respirava com ajuda de aparelhos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Centro de Tratamento de Queimados.

O Instituto Médico Legal (IML) confirmou na manhã desta sexta-feira (17) que fez a remoção do corpo da autônoma. Ela sofreu queimaduras de 2º e 3º graus durante a ocorrência. A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) também confirmou o óbito e disse que a vítima permanecia em estado gravíssimo. A causa da morte foi choque séptico.

O crime aconteceu também no dia 2 de outubro, por volta das 3h, em uma casa na rua Bacaba, 2ª etapa do bairro Itauna, em Parintins. Segundo a polícia, o suspeito do crime, Claudenor Silva de Souza, de 38 anos, jogou combustível em Dalva e depois ateou fogo nela. A mulher foi socorrida por vizinhos e levada ao Hospital Regional Jofre Cohen, onde estava desde então.

Segundo a delegada Alessandra Trigueiros, titular da Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Parintins e responsável por investigar o caso, o motivo do crime foi o desaparecimento de duas espingardas de propriedade do suspeito. O homem confrontou a vítima sobre o sumiço das armas e depois cometeu o crime brutal.

Após a tentativa de homicídio, Claudenor fugiu, mas acabou preso no dia 2 de novembro, também no município de Parintins. Segundo a polícia, a prisão dele foi feita por ribeirinhos que ficaram sabendo do crime. Ele foi encaminhado para o sistema prisional do Amazonas.