Publicidade
Manaus
Manaus

Municípios do AM sofrem com a falta de delegados de polícia

No município de Santa Isabel do Rio Negro, o 76º Distrito Integrado de Polícia (DIP) está sem um representante há mais de um mês. Serviços como abertura de inquéritos policiais e expedição de documentos são prejudicados  23/01/2014 às 18:34
Show 1
No mínimo dez municípios do AM não têm profissionais civis para executar os serviços
OSWALDO NETO* Manaus (AM)

A população do município de Santa Izabel do Rio Negro (distante 737 quilômetros de Manaus via fluvial) vem sendo prejudicada com a falta de um delegado titular há mais de um mês na única unidade da cidade. Segundo informações de policiais do 76º Distrito Integrado de Polícia (DIP), o delegado que era responsável pela delegacia de polícia viajou e não retornou ao município.

Ainda segundo informações, a sala do delegado se encontra trancada e serviços como a abertura de inquéritos policiais, oitivas de depoimentos e expedição de documentos foram totalmente comprometidos com a ausência de um representante.

A situação em Santa Izabel do Rio Negro é semelhante a de no mínimo dez municípios do Amazonas, entre os quais Juruá, Pauini, e Itamarati, segundo o Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil do Estado do Amazonas (Sinpol). De acordo com o presidente Moacyr Maia, muitas vezes policiais militares são escalados para cumprir a função de delegados e a falta de profissionais com competência jurídica causa problemas à população.

“A Polícia Militar não pode tomar providências que competem a Polícia Civil. A função da PM é trabalhar para que o crime não aconteça, já a Civil age depois que o crime acontece. Se algo está funcionando fora dessa ordem, é uma ilegalidade, como por exemplo um policial militar exercer a função de um delegado”, explicou.

Explicação

De acordo com o Departamento de Polícia do Interior (DPI), um novo delegado deverá ser deslocado ao município nos próximos dias para assumir a função. A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que 91 delegados participam de um curso de formação de novos Delegados de Polícia com o término previsto para março deste ano.

Ainda segundo a Polícia Civil, esses novos profissionais deverão ser efetivados e remanejados somente no início de abril. Em nota, a corporação completou reconhecendo a carência de delegados em alguns municípios, porém afirmou que tem se preocupado em contemplar essas cidades com representantes de formação técnica. A disponibilidade para morar em municípios afastados e a experiência profissional são alguns dos atributos analisados, segundo o DPI.

Carência de profissionais

No Amazonas, a escassez é principalmente para as especialidades de escrivães, investigadores e peritos, conforme informações do presidente do Sinpol. De acordo com ele, a expectativa é que com o remanejamento de novos representantes a insuficiência de profissionais possa ser diminuída.

“Nós temos uma proposta de um novo concurso para contratação de profissionais dessa área, porém ainda não obtivemos nenhuma posição oficial do governo. Ele é extremamente necessário, pois o Brasil está em ano de Copa do Mundo, período que muitos turistas virão para o estado e a segurança precisa estar preparada”, informou. 

*Colaborou Regiandro Góes, de Santa Izabel do Rio Negro