Publicidade
Manaus
Manaus

"Não posso compactuar com a delinquência", afirmou Artur Virgílio

Artur Virgílio entrou com um recurso na tarde deste sábado (27) junto ao TRE para que tomem providências a respeito de um panfleto apócrifo, que traz imagens e frases atribuídas a ele. O candidato classificou essa distribuição de panfletos como delinquente. 29/10/2012 às 10:00
Show 1
Candidato durante coletiva no TRE
Camila Pereira Manaus (AM)

O candidato Artur Virgílio entrou com um recurso na tarde deste sábado (27) junto ao TRE para que sejam tomadas providências a respeito de um panfleto apócrifo que foi encontrado jogado nas paradas de ônibus dos bairros Betânia, Glória, São Raimundo, Compensa, Cidade Nova e Centro. Os panfletos trazem em seu conteúdo mensagens sobre aborto e casamento homossexual, além de atribuir frases ao candidato de que “Nem Deus tira minha vitória”.

O candidato classificou essa distribuição de panfletos como delinquente. “Parece que há pessoas neste pleito com a vocação para delinquir. Neste turno nem há o que duvidar. Os números sugerem desespero da parte de lá. Não é uma questão de números. Me acostumei a ver o crime e denunciar o crime. Não posso compactuar com a delinquência. Isso é delinquência”, declarou o candidato.

Advogado da coligação “O futuro é agora”, Yuri Dantas, assegurou que todas as medidas cabíveis serão tomadas. “Estamos recolhendo para tentar coibir, fazendo comunicados, principalmente a comissão de fiscalização eleitoral. As pessoas serão identificadas”, afirmou.

Para o presidente do TRE-AM, Flávio Pascarelli, disse que tomará todas as providências para que os responsáveis sejam punidos. "A infração será punida com o rigor necessário. As primeiras medidas serão acionar a polícia e a fiscalização, que já está nas ruas. As imagens do Cipos estão a serviço do TRE e para o Ministério Público", alegou.

Os recursos ainda serão entregues ao Ministério Público e a Polícia Federal.

Resposta

Procurado pela equipe do Portal acritica.com, a assessoria da candidata Vanessa Grazziotin disse que "não temos nada a ver com isso".